Homens chilenos enfrentam tabu e denunciam agressões das mulheres

Mudança de comportamento

Segundo dados da polícia chilena, o total de denúncias dos homens agredidos em casa vem subindo desde 2006.

Naquele ano, foram realizadas 2,1 mil denúncias. Em 2009, esse total foi de quase 7 mil.

Quase 5 mil mulheres foram detidas por agressões físicas contra seus parceiros.

"Existe uma mudança de comportamento na sociedade chilena, que agora inclui a decisão dos homens de procurarem a polícia quando agredidos pelas esposas", disseram as autoridades.

Superando o tabu

País com cerca de 17 milhões de habitantes, o Chile foi apontado durante muitos anos como o mais fechado às mudanças sociais e culturais da América do Sul, tendo sido, por exemplo, um dos últimos do mundo a permitir o divórcio.

Mas para o psicólogo Gonzalo Ulloa, vice-delegado do Instituto de Criminologia da Polícia Investigativa do Chile (PDI), os resultados do levantamento confirmam as transformações de comportamento do homem e da sociedade chilena.

Ulloa disse que o país está dando sinais de que está passando de uma sociedade machista para uma sociedade com "machismo light".

Segundo ele, os homens estão "superando o tabu, a preocupação com as gozações na rua e criando coragem" para denunciar suas mulheres no caso de uma agressão por parte delas.

Para o especialista, é a nova atitude do homem que basicamente explica o aumento nas estatísticas - e não significa necessariamente que mais homens estejam apanhando em casa.

Ou seja, na sua avaliação, eles já vinham sendo agredidos, mas agora decidiram registrar na delegacia.

Direitos iguais

Segundo o psicólogo, hoje as mulheres saem para trabalhar e às vezes ganham mais do que os maridos. Com a independência financeira, observou Ulloa, elas também ficaram mais rigorosas com eles.

"Simultaneamente, o homem está se vendo mais como humano e entende que tem o mesmo direito que a mulher, o de reclamar (e de fazer a queixa policial). E assim ele está perdendo a vergonha de denunciar (os maus tratos)", afirmou o psicólogo. Vítimas femininas

Ulloa ressalvou, porém, que a mudança de comportamento dos homens chilenos é detectada principalmente nas classes mais informadas e economicamente mais elevadas.

"Nas camadas de menor nível econômico-social o machismo clássico continua o mesmo", disse.


Ver mais notícias sobre os temas:

Violência

Relacionamentos

Ética

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.