IBGE leva dois anos para calcular PIB da saúde

Era da informática

As atividades econômicas relacionadas à saúde no Brasil geraram R$ 173,3 bilhões em 2009.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) levou mais de dois anos para fazer o cálculo, e só agora vai começar a computar os dados de 2010.

A informação sobre o crescimento de um determinado setor é importante para o planejamento estratégico do governo e também do setor privado, que precisa de parâmetros para decidir seus investimentos.

Se o IBGE mantiver o ritmo dos seus trabalhos, o PIB da saúde de 2011 deverá ser conhecido no início de 2014.

PIB da saúde

De acordo com o estudo, já totalmente ultrapassado, a participação das atividades de saúde no total da renda gerada na economia brasileira foi de 6,2%, pouco mais do que os 6% observados um ano antes.

Embora o volume represente um crescimento de 2,7% em relação ao ano anterior, houve diminuição no ritmo de expansão.

Em 2008, a renda gerada por essas atividades havia totalizado R$ 154 bilhões, com aumento de 5,9% em relação a 2007.

Saúde Pública

O setor de saúde pública foi o que apresentou a maior geração de renda, 33,8% do total.

Seguem-se outras atividades relacionadas com a atenção à saúde, o que inclui clínicas privadas, ambulatórios, centros de diagnósticos, entre outros - com 19,9%.

Finalmente está o comércio de produtos farmacêuticos, ortopédicos e odontológicos, com 12,7%.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Atendimento Médico-Hospitalar

Laboratórios

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.