Igreja Católica vai ajudar governo em exames de AIDS e sífilis

Igreja Católica vai ajudar governo em exames de AIDS e sífilis
Para chamar atenção da população, a CNBB vai realizar a campanha "Declare Seu Amor Por Você" que será divulgada no rádio e por meio de cartazes e folhetos.
[Imagem: CNBB]

Declare Seu Amor Por Você

O Ministério da Saúde e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) formalizaram uma parceria para a realização de testes de HIV e de sífilis em mulheres grávidas.

A parceria vai atender primeiramente cinco capitais - Manaus, Curitiba, Fortaleza, João Pessoa e Porto Alegre -, mas poderá ser ampliada para outros municípios.

Para chamar atenção da população, a CNBB vai realizar a campanha Declare Seu Amor Por Você que será divulgada no rádio e por meio de cartazes e folhetos.

Atendimento paroquial

As paróquias que quiserem fazer as mobilizações para os testes poderão contar com a rede pública de saúde que vai colocar à disposição profissionais qualificados, além de testes e aconselhamento pré e pós-exame. Também será feito o encaminhamento à rede de saúde para casos positivos.

De acordo com o secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, o trabalho vai começar onde a igreja tem pastorais da DST/Aids organizadas, ou outras pastorais, como a da Pastoral da Criança. Depois, o trabalho será ampliado para os municípios onde elas não estão presentes.

"[Vamos] ir detectando os municípios onde a igreja tem suas pastorais organizadas e depois detectando as infraestruturas necessárias onde elas não existem, criar essas estruturas de modo que quanto mais as pessoas tiverem informação e depois condições para o tratamento e acompanhamento pós-diagnóstico mais nós vamos crescer", disse.

Pastoral da DST/Aids

A Pastoral da DST/Aids está presente em 142 dioceses no Brasil e possui 13 mil agentes capacitados e envolvidos no trabalho de acompanhamento de pessoas com HIV.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, destacou que essa é uma medida importante para ampliação do diagnóstico precoce das duas doenças. "[Esse é o] encontro entre uma política pública de grande respeitabilidade no Brasil, que é a política de aids e a Igreja Católica colocando a grande capilaridade, a grande penetração que ela tem, a respeitabilidade que ela tem, na luta pelo diagnóstico precoce pela testagem", disse.

De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, há 630 mil pessoas com o vírus da aids no Brasil. Desse total, 225 mil não sabem que tem o vírus. Em relação à sífilis, cerca de 40% dos casos onde há transmissão do vírus da mãe para o bebê podem resultar em aborto ou morte do recém-nascido.

Nova estratégia para a gripe A

Questionado sobre a política de combate ao vírus H1N1, da gripe A, Temporão disse que vai apresentar no próximo dia 6 de novembro ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma nova estratégia para a doença.

"Ontem eu tive uma reunião aqui no ministério discutindo estratégia de comunicação, de educação, ampliação de redes de UTI, toda política de planejamento que devo apresentar para o presidente Lula no dia 6 de novembro", informou.


Ver mais notícias sobre os temas:

Prevenção

Gestão em Saúde

Exames

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.