Começou o inverno no Brasil

Solstício e equinócio

O inverno começou ontem (20), às 20h09.

Segundo o Observatório Nacional (ON), a estação terminará às 11h49 do dia 22 de setembro, quando terá início a primavera.

Essas datas podem variar de um ano para o outro.

Isso ocorre porque o período de translação da Terra não é de 365 dias, como o calendário considera, mas é de precisamente de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46,08 segundos.

"A entrada do verão e do inverno é marcada, então, pelo solstício - comprimento diferente do dia e da noite -, enquanto a primavera e o outono são marcados pelo equinócio - dia e noite com comprimento igual," explicou a pesquisa Josina Oliveira do Nascimento, do ON.

A palavra solstício vem do latim, que significa "sol parado". E equinócio significa "noites iguais", quando o número de horas do período do dia é igual ao número de horas do período da noite.

Duração dos dias e das noites

Na passagem do outono para o inverno, ocorre a noite mais longa do ano e o dia mais curto. Em Brasília, o ON registra a escuridão a partir das 17h49 e prevê o início da claridade às 6h37 de amanhã (uma noite de 12 horas e 48 minutos).

Com menos sol (menos energia), as massas de ar são menos aquecidas - o que favorece a diminuição das temperaturas.

Daqui por diante, até a entrada do outono, o período de luz fica cada vez menor e o período de céu escuro fica cada vez maior, até que no dia da entrada do outono o número de horas da noite é igual ao comprimento do dia.

Durante o outono o período de claridade do dia vai diminuindo até a chegada do inverno, quando temos a noite mais longa do ano.

A partir disso, o período da noite diminui até a chegada da primavera, quando novamente o dia e a noite têm o mesmo comprimento: o mesmo número de horas de escuridão e de claridade.

Quanto mais longe da Linha do Equador maior a variação. E o oposto se verifica nos países do Hemisfério Norte, onde começa o verão.

Nada de aquecimento global

Segundo Luiz Cavalcanti, chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para o inverno feita no mês passado indicava que a estação seguirá os "padrões normais"de temperatura e de regime de chuva observados anualmente - como a temperatura baixa na Região Sul e a estiagem na Região Norte.

Para Cavalcanti, não será observada nenhuma mudança brusca do comportamento climático que possa dar fôlego à tese de aquecimento global e mudança climática. "Não defendo que haja flutuações de clima", disse à Agência Brasil.

Se as flutuações estão ocorrendo, segundo o meteorologista, isso ocorre a longo prazo, ou seja, em um período observável em intervalos de pelo menos mil anos, e não guardam relação, necessariamente, com o efeito estufa.

A mesma opinião tem a física Josina Oliveira do Nascimento, do ON. "Não dá para ser categórico ou determinista", disse referindo-se a eventuais alterações do clima. "Isso não quer dizer que só agora está acontecendo isso".


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Cuidados com a Pele

Higiene Pessoal

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.