Justiça proíbe venda de andadores em todo o país

A Justiça do Rio Grande do Sul proibiu a venda de andadores para crianças em todo o Brasil.

Desde o começo deste ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) faz uma campanha contra o uso de andadores por crianças que estão aprendendo a andar.

A SBP diz que há pelo menos um caso de traumatismo "para cada duas a três crianças" que usam o andador e que, em um terço dessas ocorrências, surgem lesões graves.

A decisão abrange nove marcas, citadas como rés no processo, ajuizado em Passo Fundo (RS) pela Associação Carazinhense de Defesa do Cidadão. As empresas poderão recorrer da decisão.

A juíza Lizandra Cericato Villarroel, que concedeu a liminar, fixou multa de R$ 5 mil por dia de descumprimento da medida. Ela também determinou que, caso as fabricantes não apresentem certificação de qualidade de seus produtos feita pelo Inmetro, a proibição de venda ficará valendo até a decisão final da ação.

Riscos dos andadores

Na campanha da SBP, os pediatras explicam que bebês que usam andadores levam mais tempo para ficar de pé e caminhar sem apoio, engatinham menos e têm resultados inferiores em testes de desenvolvimento.

Para eles, um dos principais fatores de risco para traumas em crianças é dar a ela mais independência do que sua idade permite.

Em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, desde 2010 o uso de andadores por crianças em creches e escolas públicas é proibido.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com o Recém-nascido

Equipamentos Médicos

Acidentes

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.