Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

14/09/2015

Legislação de armas de fogo influencia taxas de suicídio

Redação do Diário da Saúde

Controle da venda de armas

A política de venda de armas de fogo influencia diretamente a taxa de suicídios na população, sobretudo entre os homens mais jovens.

A constatação foi feita por em estudo realizado nos EUA, um dos países mais liberais na venda de armas de fogo ao público, mas que apresenta variações nas legislações estaduais.

Cassandra Crifasi, da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins, estudou a influência sobre as taxas de suicídio na população de alterações nas leis de dois estados, feitas em sentidos opostos com relação ao controle da venda de armas.

Suicídios por armas de fogo

O estado de Connecticut passou a exigir uma licença para a compra de armas de fogo, envolvendo uma checagem prévia dos antecedentes do comprador.

Após a introdução da legislação, a taxa de suicídios por armas de fogo caiu 15,4% no estado.

Por outro lado, o estado de Missouri aprovou uma legislação exatamente oposta, banindo a exigência de uma licença prévia do comprador.

Após a eliminação da licença, a taxa de suicídios por armas de fogo aumentou 16,1% no estado.

"Embora essas leis não tenham sido propostas para reduzir os suicídios, muitos dos fatores de risco que desqualificam alguém como proprietário de uma arma de fogo - violência doméstica, histórico de crimes violentos, abuso de substâncias e doenças mentais graves - são também fatores de risco para o suicídio," disse Cassandra.


Ver mais notícias sobre os temas:

Violência

Comportamento

Acidentes

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão