Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

29/02/2016

Leite e carne orgânicos têm 50% mais nutrientes benéficos

Redação do Diário da Saúde
Leite e carne orgânicos têm 50% mais nutrientes benéficos
A professora Gillian Butler foi uma das organizadoras do estudo, que congregou vários pesquisadores, incluindo especialistas em nutrição animal, que estão em busca de explicações para a diferença na composição da carne e do leite orgânicos.[Imagem: Newcastle University]

Leite orgânico e carne orgânica

Tanto o leite orgânico quanto a carne orgânica contêm cerca de 50% mais ácidos graxos ômega-3 do que os mesmos produtos produzidos de forma convencional.

No maior estudo deste tipo já feito, uma equipe internacional de especialistas analisou dados de todo o mundo, revendo 196 estudos científicos sobre o leite orgânico e 67 artigos sobre a carne orgânica.

O balanço total dos estudos demonstra diferenças claras entre o leite e a carne orgânicos e convencionais, especialmente em termos da composição de ácidos graxos, além das concentrações de certos minerais essenciais e antioxidantes.

A equipe, liderada pelo professor Carlo Leifert, da Universidade de Newcastle (Reino Unido), publicou suas conclusões no British Journal of Nutrition.

Diferenças entre leite e carne orgânicos e convencionais

As principais conclusões da meta-análise dos estudos científicos feitos até agora sobre o tema são:

  1. Tanto o leite orgânico quanto a carne orgânica contêm cerca de 50% mais ácidos graxos ômega-3 do que os produtos produzidos convencionalmente.
  2. A carne orgânica apresenta concentrações ligeiramente mais baixas de duas gorduras saturadas (ácidos mirístico e palmítico) que estão associadas a um aumento do risco de doença cardiovascular.
  3. O leite orgânico contém 40% mais ácido linoleico conjugado (CLA) do que o leite convencional.
  4. O leite orgânico contém concentrações ligeiramente mais elevadas de ferro, vitamina E e alguns carotenoides.
  5. O leite convencional contém 74% mais do mineral essencial iodo e ligeiramente mais selênio.

"Os [ácidos graxos] ômega-3 estão ligados a reduções nas doenças cardiovasculares, melhoria do desenvolvimento e funcionamento neurológico e melhor função imunológica. Nosso estudo sugere que a mudança para os orgânicos seria uma forma de melhorar a ingestão desses nutrientes importantes," concluiu a equipe.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Vitaminas

Consumo Responsável

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento