Estudo confirma ligação entre implantes mamários e forma rara de câncer

Implantes e linfoma

Os implantes de mama estão associados com uma forma rara de linfoma, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da RAND Corporation.

O estudo também descobriu que a doença tem uma evolução lenta e pode ser controlada pela remoção cirúrgica da cápsula do implante.

Apesar disso, os cientistas afirmam que ainda não há provas de que o câncer seja causado diretamente pelos implantes - eles ainda não compreendem o mecanismo de desenvolvimento da doença.

Ou seja, o estudo mostra que os dois - implantes e linfoma - ocorrem juntos, sem estabelecer uma relação causal. Mas a eliminação do implante parece ser o melhor tratamento para a doença.

Linfoma anaplásico de grandes células

As conclusões são baseadas em uma revisão exaustiva da literatura médica sobre os implantes mamários e o linfoma anaplásico de grandes células, ou ALCL, um tipo de câncer do sistema imunológico.

Os pesquisadores também discutiram os resultados da literatura médica com um painel multidisciplinar de especialistas.

A ligação entre o ALCL e os implantes mamários foi sugerida há mais de uma década.

Câncer muito raro

As preocupações sobre uma associação entre os implantes de mama e o linfoma anaplásico de grandes células foram levantadas pela primeira vez em 1996, quando médicos publicaram um relatório que descrevia uma mulher com implantes que tinham desenvolvido o câncer no tecido situado junto a um de seus implantes.

Desde aquela época, relatos semelhantes foram publicados, estimando-se que cerca de 1 a 3 casos seriam diagnosticados anualmente por milhão de mulheres com implantes.

Devido a essas preocupações crescentes, a Fundação de Cirurgia Plástica e a Fundação de Pesquisas e Educação em Cirurgia Estética, entidades dos profissionais da área, encomendaram à RAND uma revisão exaustiva da literatura médica e a organização de um painel de médicos especialistas para avaliar a existência de um vínculo potencial entre implantes mamários e ALCL e as suas implicações.

Retira do implante

Foram identificados 36 casos publicados de linfoma não-Hodgkin entre mulheres com implantes mamários, dos quais 29 foram diagnosticados como linfoma anaplásico de grandes células.

Pelo menos 12 das 29 mulheres tinham um histórico prévio de um tipo diferente de câncer, incluindo oito que haviam sido mastectomizadas por câncer de mama e duas que tinham um histórico anterior de ALCL.

Não houve nenhuma evidência de que fatores de risco da paciente ou de determinados tipos de implantes aumentem o risco da doença.

Enquanto algumas pacientes receberam quimioterapia e ou radioterapia, o tratamento na maioria dos casos consistiu da remoção cirúrgica do implante afetado e dos tecidos circundantes, o que apareceu ser o suficiente para controlar a doença.

Não houve óbitos entre as 16 mulheres para as quais estavam disponíveis informações de acompanhamento.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde da Mulher

Câncer

Cirurgias Plásticas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.