Luz azul melhora sono e ansiedade de pacientes de Alzheimer

Luz azul melhora sono e ansiedade de pacientes de Alzheimer
A Dra. Mariana Figueiro é brasileira, mas atualmente trabalha no Instituto Politécnico Rensselaer (EUA).
[Imagem: LRC/RPI]

Cada vez mais a cromoterapia comprova que a luz pode ser um medicamento de alta eficiência.

Um novo estudo mostrou que um tratamento com luz já utilizado para regular o relógio biológico também pode melhorar o sono e reduzir a depressão ou a agitação apresentadas por pessoas com Alzheimer ou outros tipos de demência.

Os resultados mostram que a exposição ao tratamento de luz durante o dia por quatro semanas aumenta significativamente a qualidade e a duração total do sono desses pacientes.

Os indicadores de depressão e agitação também se reduziram significativamente.

"É um tratamento não-farmacológico simples e barato para melhorar o sono e o comportamento dos pacientes de Alzheimer e demência," confirma a Dra. Mariana Figueiro, que é brasileira, mas atualmente é professora do Centro de Pesquisa em Iluminação do Instituto Politécnico Rensselaer (EUA).

"As melhorias que vimos na agitação e depressão foram impressionantes," disse ela.

Luz azulada durante o dia

A fonte de luz utilizada produz baixos níveis - de 300 a 400 lux - de luz branco-azulada com temperatura de cor de 9000 K.

A lâmpada foi simplesmente instalada nos quartos dos moradores e ligada durante o dia por um período de quatro semanas.

A Dra. Mariana ressalta que a melhoria na qualidade do sono também foi associada a outras mudanças comportamentais visíveis.

"Relatos subjetivos por parte da equipe de enfermagem indicam que os pacientes ficaram mais calmos, comeram melhor e seu comportamento geral foi mais administrável," disse ela.


Ver mais notícias sobre os temas:

Terapias Alternativas

Neurociências

Mente

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.