Componente da maconha reduz crescimento de tumores

Componente da maconha reduz crescimento de tumores
Apesar dos preconceitos contra a Cannabis sativa, um estudo após o outro comprova a riqueza de efeitos medicinais que se pode obter dos compostos da maconha.
[Imagem: USFWS]

O principal ingrediente psicoativo da maconha (Cannabis sativa) reduz o ritmo de crescimento des tumores de câncer.

Uma nova pesquisa revelou a existência de mecanismos de sinalização até agora desconhecidos, que são responsáveis pela capacidade da droga de reduzir o crescimento dos tumores.

Devido aos inúmeros preconceitos contra a planta, os pesquisadores afirmam esperar desenvolver um equivalente sintético da droga com propriedades anticancerígenas.

A equipe usou amostras de células de câncer de mama humano para induzir tumores em camundongos. Eles, então, trataram os tumores com doses do composto THC (tetrahidrocanabinol) extraído da maconha.

O THC é o mesmo componente já usado com sucesso em experimentos contra a esquizofrenia e a dor crônica.

"Nós mostramos que esses efeitos são mediados pela interação conjunta do CB2 e do GPR55, dois membros da família dos receptores canabinoides. Nossos resultados ajudam a explicar alguns dos efeitos bem conhecidos, mas ainda mal compreendidos, do THC sobre o crescimento de tumores," disse o Dr. Peter McCormick (Universidade East Anglia), que fez o estudo em conjunto com colegas da Universidade Complutense de Madrid.

"Ao identificar os receptores envolvidos, nós demos um passo importante para o futuro desenvolvimento de drogas terapêuticas que possam tirar proveito das interações que descobrimos para reduzir o crescimento de tumores," completou ele.


Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Câncer

Drogas Lícitas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.