Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

05/06/2012

Medicamento inteligente elimina efeitos colaterais

Redação do Diário da Saúde

Esteroides glicocorticoides

Cientistas da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, afirmam ter descoberto uma forma de usar esteroides glicocorticoides em um tipo de medicamento inteligente que atinge apenas as células relevantes, evitando efeitos colaterais.

Os dados são baseados em estudos em animais, mas se este princípio puder ser traduzido para os seres humanos, isso poderá melhorar significativamente os tratamentos agressivos feitos hoje com este tipo de esteroide muito potente.

Esta é a principal perspectiva oferecida pela pesquisa publicada na revista Molecular Therapy, ligada à Nature.

Contra a imunidade

Os esteroides glicocorticoides sintéticos são usados em muitas doenças agudas e inflamatórias crônicas, incluindo doenças autoimunes, como a artrite reumatoide.

São os medicamentos anti-inflamatórios mais potentes que se dispõe hoje, mas a sua utilização é dificultada por conta dos efeitos colaterais graves, tais como a osteoporose, a perda de massa muscular, o diabetes e a danos ao sistema imunológico.

Os novos dados mostram que é possível direcionar esses medicamentos diretamente para as células imunológicas que eles devem alvejar.

Essas células desempenham um papel crucial na inflamação e seu efeito nocivo sobre os tecidos circundantes é fortemente atenuado pelos esteroides glicocorticoides.

Acoplamento celular

A nova técnica baseia-se no acoplamento do esteroide a um anticorpo que se liga especificamente a um receptor expresso exclusivamente na superfície dos macrófagos - células do sistema imunológico.

Os receptores normalmente ligam-se à hemoglobina, mas são também capazes de recobrir a droga. Nas células, o esteroide ativo é liberado, podendo executar seu trabalho, que é essencialmente a regulação de um gene.

Deste modo, o fármaco funciona apenas nas células relevantes, e pode-se aplicar uma dose muito menor para se obter a eficácia esperada.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Tratamentos

Nanotecnologia

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento