Médicos são proibidos de distribuir vale-descontos de remédios

Medicina e mercado

Profissionais médicos estão proibidos de participar da divulgação de promoções relacionadas a cupons e cartões de desconto usados na compra de remédios.

A decisão é do Conselho Federal de Medicina (CFM) que alega que o médico não pode ficar sob suspeição por participar de ações de mercado.

O CFM afirma que a promoção desses cupons ou cartões de descontos podem interferir no comércio, pois influenciam no processo de escolha dos medicamentos.

Sigilo do paciente

Por meio de resolução publicada no Diário Oficial da União, o CFM proibiu a prática por questões relacionadas ao conflito de interesse e à proteção do sigilo do paciente.

A entidade defende também que este procedimento deixa o sigilo do paciente vulnerável, pois o envio de dados do indivíduo pode revelar aos representantes de laboratórios o diagnóstico da doença por dedução, a partir da prescrição.

Com a nova regra, fica proibido ao médico o preenchimento de qualquer espécie de ficha, cadastro, formulário, cartão de informações ou documentos afins que permitam o conhecimento de dados exclusivos do atendimento.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Consumo Responsável

Atendimento Médico-Hospitalar

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.