Nanotecnologia cria exame de câncer 300 vezes mais preciso

Nanotecnologia cria exame de câncer 300 vezes mais preciso
Pesquisadores desenvolvem exame capaz de diagnosticar a recorrência de câncer de próstata anos antes do que testes convencionais.
[Imagem: FHCRC]

Recorrência do câncer

Um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos e Áustria desenvolveu um novo exame capaz de diagnosticar a recorrência de câncer de próstata anos antes do que testes convencionais.

A novidade poderá ajudar a identificar sinais de aviso em casos de retorno da doença em pacientes submetidos à cirurgia de remoção da próstata.

A novidade está em uma artigo científico que será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Nanotecnologia contra o câncer

O método emprega técnicas de nanotecnologia. Chad Mirkin, da Universidade Northwestern, e colegas, usaram sondas feitas de nanopartículas de ouro para detectar o antígeno prostático específico (PSA), um marcador pada a doença encontrado no sangue, em 18 homens.

As sondas levam amostras de DNA e de anticorpos capazes de reconhecer e de grudar no PSA mesmo quando o antígeno está presente em níveis muito baixos.

Com o novo método foi possível observar valores de PSA muito inferiores a 0,1 nanograma por milímetro, o limite dos testes comerciais atuais - 1 nanograma é igual a 1 bilionésimo de grama. Segundo os pesquisadores, o método é cerca de 300 vezes mais sensível do que os testes de PSA disponíveis atualmente.

Terapias pós-cirurgia

Com o novo teste, níveis muito baixos de PSA, que não seriam percebidos pelos métodos atuais, puderam ser detectados em amostras de todos os pacientes submetidos à prostatectomia e analisados.

Em alguns casos, os autores foram capazes de associar uma elevação nos níveis de PSA com a recorrência do câncer, enquanto em outros os níveis mais baixos foram relacionados com a não recorrência da doença.

Os pesquisadores apontam que o novo teste poderá ajudar os médicos a determinar quais pacientes têm maiores chances de se ver livres do câncer de próstata após a cirurgia e quais poderão ter a recorrência. O método também poderá ajudar a monitoras a eficácia de terapias pós-cirurgia, como radioterapia ou quimioterapia.


Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Câncer

Quimioterapia

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.