Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

02/01/2013

Novo exame de câncer da próstata evita biópsias desnecessárias

Redação do Diário da Saúde
Novo exame de câncer da próstata evita biópsias desnecessárias
A técnica permite reduzir as biópsias desnecessárias e eliminar tratamentos de cânceres da próstata não letais - vários cânceres dispensam até mesmo o tratamento.[Imagem: UCLA Health]

Biópsia guiada por imagens

Cientistas da Universidade da Califórnia demonstraram que o câncer da próstata pode ser diagnosticado através de uma biópsia guiada por imagens.

Tradicionalmente identificada apenas pela chamada "biópsia cega", a doença agora poderá ser monitorada de forma mais precisa através de uma combinação de exame de ressonância magnética e ultra-som.

O estudo indica que a junção das duas técnicas permite a realização de biópsias muito mais precisas do que a técnica usada hoje, o que permite detectar os cânceres sérios mais precocemente.

Por outro lado, a técnica permite reduzir as biópsias desnecessárias e eliminar tratamentos de cânceres da próstata não letais - vários cânceres dispensam até mesmo o tratamento.

Biópsia cega

O estudo envolveu homens com níveis de PSA sistematicamente elevados e pacientes sendo monitorados pela presença de cânceres da próstata de crescimento lento.

A nova biópsia é realizada em 20 minutos, com o paciente sob anestesia local.

Apesar de estar sendo alvo de críticas crescentes, o exame de PSA é o principal balizador para a realização das biópsias para câncer de próstata - ainda que 75% delas deem resultado negativo.

"É difícil de fazer imagens do câncer da próstata em seus estágios iniciais por causa do pequeno contraste entre os tecidos normais e os malignos no interior da próstata," explica o Dr. Leonard Marks, um dos criadores da nova técnica.

É por isso que a coleta de tecido para análise é chamada de biópsia cega, porque os médicos não estão vendo o que estão coletando.

Combinação de exames

"Agora, com este novo método que mescla ressonância magnética com ultra-som, nós podemos ver o câncer e capturar o tecido correto de maneira muito mais precisa e racional," completou o médico.

Os pesquisadores criaram um aparelho que funde as imagens de ressonância magnética com um exame de ultra-som 3D em tempo real, permitindo ver qualquer lesão com grande precisão.

Desta forma, o médico pode dirigir a coleta do tecido para análise ou simplesmente descartar a necessidade da biópsia por falta de indício de tecidos malignos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde do Homem

Exames

Prevenção

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?