OMS faz reunião de emergência para combater ebola

OMS faz reunião de emergência para combater ebola
O surto de ebola, o pior da história, está se espalhando pelo oeste da África.
[Imagem: Wikipedia]

A Organização Mundial da Saúde (OMS) organizou um encontro de emergência em Gana sobre o surto de ebola que eclodiu no oeste da África a partir de fevereiro.

Autoridades de saúde de 11 países se reunirão por dois dias na capital Accra para discutir como pôr fim à crise.

Mais de 400 pessoas morreram no que já se tornou o pior surto de ebola na história.

A maioria das mortes ocorreu na Guiné, mas há um número crescente de casos na Libéria e em Serra Leoa.

A reunião conta com a participação dos ministros da Saúde dos três países afetados e funcionários de países vizinhos, como Costa do Marfim, Mali, Guiné-Bissau, Senegal, Uganda, República Democrática do Congo, Gâmbia e Gana.

Todos esses países são considerados sob risco de ebola. A OMS afirma que são necessários compromissos políticos entre eles para garantir que o vírus seja exterminado.

Ebola

O ebola é um dos vírus mais mortais do planeta porque mata até 90% das pessoas infectadas.

Não há vacina ou cura. O vírus se espalha através do contato com fluidos corporais de uma pessoa infectada, causando febre, diarreia e sangramentos.

A OMS disse que o número de mortos no oeste da África subiu para 467, sendo que que 68 mortes foram registradas nos últimos dez dias. O número de casos subiu de 635 em 23 de junho para 759, um aumento de 20%.

A maioria das mortes foi registrada na região de Guekedou, no sul da Guiné, onde o surto foi relatado pela primeira vez em fevereiro.


Ver mais notícias sobre os temas:

Epidemias

Vírus

Sistema Circulatório

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.