Otoscópio de infravermelho enxerga profundezas do ouvido

Otoscópio infravermelho

Um novo aparelho promete melhorar significativamente o diagnóstico de infecções do ouvido e reduzir o uso desnecessário de antibióticos, a maior causa da resistência das bactérias a esses medicamentos.

O aparelho, que está em fase final de testes, deverá funcionar melhor do que os otoscópios atuais, os aparelhos que a maioria dos médicos usa para vasculhar dentro do ouvido à procura de sinais de infecção.

Mas, ao contrário dos otoscópios convencionais, que usam a luz visível e só conseguem mostrar alguns dos tecidos do ouvido, o novo aparelho usa ondas infravermelhas, que podem penetrar muito mais profundamente nos tecidos.

Fluido atrás do tímpano

O sinal mais claro de uma infecção no ouvido é um acúmulo de fluido atrás do tímpano. Mas as imagens dos otoscópios que os médicos usam hoje não conseguem penetrar profundamente o suficiente nos tecidos para revelar esses acúmulos.

Otoscópio infravermelho
O aparelho permite ver detalhes das estruturas internas do ouvido.
[Imagem: MIT]

"Muitas vezes, é uma adivinhação com cinquenta por cento de chance [que estabelece] se existe fluido lá," disse Jessica Carr, pesquisadora do MIT (EUA) e uma das criadoras do novo aparelho. "Se não houver nenhum fluido, não há nenhuma chance de uma infecção."

Já usando a luz infravermelha, o tímpano basicamente se torna transparente, enquanto o fluido no interior do ouvido fica escuro e muito evidente.

Depois de testes iniciais bem-sucedidos com 10 voluntários adultos, a equipe está agora realizando testes em pacientes pediátricos para confirmar a precisão dos resultados de diagnóstico. Se tudo correr bem, a equipe espera comercializar o dispositivo o mais rapidamente possível.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Audição

Infecções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.