Para ganhar mais energia, mastigue mais

Para ganhar mais energia, mastigue mais
As fibras diversificadas das frutas, legumes e grãos integrais também chegam no topo do ranking como grandes fontes de energia.
[Imagem: Wikimedia/Danielle Keller]

Amêndoas estão entre as fontes de alimentos mais energéticas de que dispomos.

Mas tirar proveito disso não é uma questão de quanto você come, e sim de quanto você mastiga.

"O tamanho das partículas aumenta a biodisponibilidade da energia do alimento que está sendo consumido," explica o Dr. Richard Mattes, professor de nutrição da Universidade de Purdue (EUA). "Quanto mais você mastigar, menos se perde e mais é retido no corpo."

Amêndoas inteiras ou granuladas?

Cada indivíduo tem seus próprios hábitos de mastigação, afirma o médico.

Mas, embora seja muitas vezes difícil de mudar esses hábitos, isso deve ser considerado se o interesse é aproveitar ao máximo o potencial dos alimentos.

Quando se mastiga pouco, as partículas maiores são eliminadas pelo organismo.

Quando se mastiga mais, as partículas menores são mais prontamente absorvidas - os testes envolveram voluntários mastigando amêndoas 10 vezes, 25 vezes e 40 vezes.

"Se o objetivo é ingerir um alimento gostoso e rico em proteínas, amêndoas inteiras são provavelmente tudo o que você quer," disse Mattes. "Se você está interessado em maximizar a ingestão de vitamina E, amêndoas granuladas, manteiga de amêndoa ou óleo de amêndoa podem ser uma escolha melhor."

Fibras e gorduras

As fibras diversificadas das frutas, legumes e grãos integrais também chegam no topo do ranking como grandes fontes de energia, acrescenta o professor.

"Quando sua dieta total é mais rica em fibras, há uma maior perda de gordura,", disse ele. "As fibras ligam-se aos ácidos graxos para criar fontes de energia no corpo," evitando o acúmulo da gordura não aproveitada.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Consumo Responsável

Conservação de Alimentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.