Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

10/04/2012

Fumantes já são menos de 15% da população

Com informações da Agência Brasil

Rumo à extinção

Segundo o Ministério da Saúde, o percentual de fumantes no Brasil baixou de 16,2%, em 2006, para 14,8% no ano passado.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, elogiou os resultados e lembrou que é a primeira vez em que o índice fica abaixo dos 15%.

"É uma queda importante e mostra a correção de algumas medidas do governo, do Congresso Nacional, [no sentido] de reforçar a luta contra o tabagismo", disse o Ministro ao destacar ações como a proibição de fumódromos e a criação de espaços livres do tabaco.

Ação masculina

Dados mostram que a frequência de fumantes continua maior entre os homens: 18,1% contra 12% entre as mulheres.

Por outro lado, a população masculina lidera a redução do tabagismo no país, já que 25% deles declararam ter deixado de fumar, contra 19% entre as pessoas do sexo feminino.

A tendência de queda no consumo entre os homens foi constatada em todas as faixas etárias e independentemente do grau de escolaridade.

A quantidade de pessoas que abandonam o hábito de fumar, de acordo com o ministério, aumenta com o avançar da idade.

A frequência de ex-fumantes chega a ser quase cinco vezes maior entre homens com mais de 65 anos. Entre as mulheres, a maior queda foi verificada na faixa etária dos 55 aos 64 anos (30%).

Outro aspecto positivo apontado pelo estudo é a queda do índice de homens que fumam mais de 20 cigarros por dia - o chamado fumante pesado. A proporção passou de 6,3% em 2006 para 5,4% em 2011.

Fumantes passivos

Em relação aos fumantes passivos, a pesquisa indica que 11,8% dos brasileiros não fumantes moram com pelo menos uma pessoa que fuma dentro de casa.

Além disso, 12,2% das pessoas que não fumam convivem com algum colega fumante no local de trabalho.

Adultos entre 18 e 24 anos são os que mais sofrem com o fumo passivo em casa (17,7%).

No trabalho, a frequência de homens atingidos pelo fumo passivo é 17,8%, mais do que o dobro da registrada entre as mulheres, 7,4%.

Dados mostram ainda que, quanto maior o acesso à informação, menor a chance de a pessoa começar a fumar.

O percentual de fumantes entre pessoas com até oito anos de estudo ficou em 18,8%, contra 10,3% entre pessoas com 12 anos ou mais de estudo, um resultado oposto ao verificado entre os alcoólatras.


Ver mais notícias sobre os temas:

Tabagismo

Drogas Lícitas

Sistema Respiratório

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?