Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

07/05/2012

Pesquisadores brasileiros aprimoram tratamento de periodontite grave

Com informações da Agência Fapesp

Tratamento duplo

Pesquisadores brasileiros descobriram que o tratamento convencional de infecções bacterianas que afetam as gengivas e os demais tecidos que circundam os dentes (periodontites) pode ser significativamente melhorado por meio do uso concomitante dos antibióticos metronizadol e amoxicilina.

Um artigo publicado por pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Odontologia

A equipe da Universidade Guarulhos (UnG) publicou a descoberta no Journal of Clinical Periodontology, a revista de maior impacto científico na área odontológica.

E o artigo se transformou em um dos mais lidos e citados da revista, atraindo atenção internacional para o trabalho brasileiro.

Periodontite agressiva

Os pesquisadores estudaram pacientes com periodontite agressiva, um tipo de infecção bacteriana rara que afeta normalmente pessoas mais jovens.

A infecção é caracterizada pela rápida perda dos ossos de suporte, podendo resultar na perda de dentes, principalmente os molares e incisivos.

Tradicionalmente, esta doença, assim como outros tipos de infecções periodontais, são tratados com a raspagem mecânica e o alisamento das raízes dos dentes para remoção das bactérias que colonizam a região entre os dentes e as gengivas e atacam os ossos de suporte dentário.

Mas os pacientes jovens costumam não responder bem a esse tipo de tratamento, apresentando recorrência da doença.

Metronizadol e amoxicilina

A solução foi descoberta associando o uso dos antibióticos metronizadol e amoxicilina.

Após três meses, os pacientes apresentaram uma resposta clínica melhor do que os que só receberam o tratamento convencional.

Além disso, também houve uma melhor recolonização da placa bacteriana (biofilme) localizada abaixo da margem da gengiva.

Os exames revelaram que os antibióticos ajudaram a promover uma melhor recolonização do biofilme dos pacientes, que apresentou maior proporção de bactérias benéficas do que patogênicas em comparação com o dos pacientes que só receberam o tratamento convencional.

"Constatamos que, nos pacientes que não tomaram antibióticos, houve um retorno maior e mais rápido dos patógenos após o tratamento, enquanto a microbiota dos que receberam a medicação se manteve mais estável e mais benéfica, o que resultou na melhora dos parâmetros clínicos, como redução de sangramento e regressão da doença", disse Feres.

Periodontites

As periodontites são causadas pela colonização da boca por determinadas espécies de bactérias que podem ser transmitidas dos pais para os filhos e que podem se reproduzir na margem da gengiva quando há uma baixa resistência do hospedeiro.

Ao colonizar a margem da gengiva, o organismo tenta se livrar delas, desencadeando um processo inflamatório de evolução rápida, que produz metabólitos que degradam os tecidos em volta dos dentes e os ligamentos periodontais (os ossos de suporte).

Por estar associada a uma carga muito alta de bactérias agressivas à saúde, alguns estudos recentes em uma área da periodontia, chamada medicina periodontal, têm sugerido que as infecções periodontais podem funcionar como fator de risco para outras alterações sistêmicas, como parto prematuro, doenças cardiovasculares e infecções pulmonares.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Bucal

Infecções

Medicamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão