Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

08/04/2015

Pesquisas na internet criam ilusão de conhecimento

Redação do Diário da Saúde
Pesquisas na internet criam ilusão de conhecimento
Internet na sala de aula é uma má ideia, dizem pesquisadores. [Imagem: Wikipedia]

Efeito Google

Pesquisar na internet para obter informações pode fazer as pessoas se sentirem mais inteligentes do que realmente são.

"Está ficando mais fácil confundir o seu próprio conhecimento com esta fonte externa. Quando as pessoas estão verdadeiramente por conta própria, elas podem ser extremamente imprecisas sobre o quanto sabem e o quanto são dependentes da internet," comenta o Dr. Matthew Fisher, da Universidade de Yale (EUA).

Em uma série de experimentos, voluntários que procuravam informações na internet acreditavam estar mais bem informados sobre outros temas, não relacionados com as pesquisas que acabavam de ter feito on-line. Um grupo de controle, que não usou a internet, foi muito mais preciso em reconhecer a própria ignorância sobre esses outros temas.

E, em um resultado que surpreendeu até os pesquisadores, os participantes apresentaram um senso inflado de seu próprio conhecimento depois de pesquisar na internet mesmo quando não conseguiram encontrar a informação que estavam procurando sobre o assunto original.

Após a realização das pesquisas na internet, os participantes também demonstraram acreditar que seus cérebros são mais ativos do que o grupo controle.

Eu acho que posso saber

Em um dos diversos experimentos realizados, o grupo da internet pesquisou respostas para quatro perguntas (por exemplo, "Como funciona um zíper?"), tendo que fornecer um link do site com a melhor resposta. O grupo controle recebeu o texto exato do site mais comum usado pelo grupo da internet para responder às questões.

Em seguida, os dois grupos avaliaram sua capacidade de responder a outras perguntas (por exemplo, "Por que noites nubladas são mais quentes?") cobrindo assuntos não relacionados com as pesquisas na internet ou com os textos recebidos, apesar de não terem de responder a essas novas perguntas.

Os membros do grupo da internet classificaram-se de forma consistente como mais "sabedores" do que o grupo controle sobre esses temas não relacionados, para os quais eles nem sequer procuraram a resposta.

Saber e achar que sabe

Segundo o Dr. Matthew Fisher, as pessoas precisam estar ativamente envolvidas na pesquisa quando leem um livro ou precisam conversar com um especialista para encontrar a resposta para um assunto.

Mas, quando pesquisam na internet, esse envolvimento e aplicação são desnecessários ou menos intensos.

"Se você não sabe a resposta para uma pergunta, é muito evidente para você que você não sabe, e leva tempo e esforço para encontrar a resposta. Com a internet, as linhas entre o que você sabe e o que você acha que sabe tornam-se muito menos claras," avalia o pesquisador.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Memória

Mente

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão