Pesquisas da pílula contra o câncer receberão R$ 10 milhões

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Celso Pansera, anunciou um plano de trabalho para a validação da substância fosfoetanolamina, que pode vir a ser usada no tratamento do câncer.

Há algumas semanas o Ministério da Saúde havia anunciado planos para estudar a eficácia da "pílula do câncer".

A tarefa parece estar sendo assumida pelo MCTI, que irá destinar R$ 10 milhões até 2017 para as atividades ligadas à pesquisa do medicamento.

Os estudos vão ser conduzidos por laboratórios que têm parcerias firmadas com o ministério, além do Instituto Butantan e institutos ligados ao Ministério da Saúde.

Rapidez

O MCTI pretende que os testes clínicos com a fosfoetanolamina sejam feitos rapidamente.

A declaração foi feita pela diretora do Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde, Clarice Petramale, em audiência pública na Câmara dos Deputados.

O medicamento, usado no tratamento do câncer, foi descoberto há 20 anos por pesquisadores da Universidade de São Paulo na cidade de São Carlos (SP). Mas, desde que a USP interrompeu sua distribuição, pacientes tiveram que recorrer à Justiça para conseguir a fosfoetanolamina.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Câncer

Desenvolvimento de Medicamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.