Teste de glicose desnecessário para maioria dos pacientes com diabetes

Picada para teste de glicose desnecessária para maioria de pacientes com diabetes
"O automonitoramento da glicemia no diabetes tipo 2 não tratado com insulina tem utilidade limitada. Para a maioria, os custos podem superar os benefícios."
[Imagem: Christ-claude Mowandza-ndinga/UNC Health Care]

Exames demais?

Em um estudo histórico, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade da Carolina do Norte (EUA) demonstraram que o teste de glicose em amostras de sangue não oferece uma vantagem significativa no controle de açúcar no sangue e nem melhora a qualidade de vida dos pacientes com diabetes tipo 2 que não são tratados com insulina.

Embora seja uma técnica largamente disseminada, a equipe afirma que o ensaio clínico aleatório chamado "The MONITOR Trial" é o primeiro grande estudo prático a examinar os efeitos do monitoramento da glicose entre os diversos níveis de diabetes.

Para os pacientes com diabetes tipo 2 tratados com insulina, verificar o nível de açúcar no sangue com uma picada no dedo é uma prática mundialmente aceita para monitorar os efeitos da terapia com insulina.

No entanto, a maioria dos pacientes com diabetes tipo 2 não são tratados com insulina. Esses pacientes frequentemente também recebem a recomendação de fazer o monitoramento da glicose, apesar de haver um debate em curso na comunidade médica sobre a eficácia dessa medida no controle do diabetes ou na melhoria no bem-estar dos pacientes.

O ensaio MONITOR demonstrou que não há eficácia ou benefícios no monitoramento desses pacientes.

"Os resultados do nosso estudo têm o potencial de transformar a prática clínica atual para os pacientes e seus cuidadores, colocando o foco na eterna questão: Fazer ou não fazer um exame?" disse a Dra. Katrina Donahue, membro da equipe que coordena o ensaio MONITOR.

Custos superam benefícios

Durante o ensaio, que durou um ano, 450 pacientes foram designados para um de três grupos: sem monitoramento do açúcar no sangue, monitoramento da glicose uma vez por dia ou monitoramento da glicose uma vez por dia com uma mensagem personalizada de encorajamento ou instrução enviada por email.

Ao final, os resultados mostraram que:

  1. Não houve diferenças significativas no controle da glicose no sangue nos três grupos.
  2. Não houve diferenças significativas na qualidade de vida relacionada à saúde nos três grupos.
  3. Não houve diferenças notáveis na hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue), hospitalizações ou idas ao pronto-socorro.
  4. Não houve diferença no número de indivíduos que tiveram que começar a usar o tratamento com insulina para controlar melhor os níveis de açúcar no sangue.

"É claro que pacientes e cuidadores devem considerar cada situação única conforme determinam se o monitoramento doméstico da glicemia é apropriado," ressalta Donahue. "Mas os resultados nulos do estudo sugerem que o automonitoramento da glicemia no diabetes tipo 2 não tratado com insulina tem utilidade limitada. Para a maioria, os custos podem superar os benefícios."

Os resultados do ensaio foram publicados no JAMA Internal Medicine.


Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Sistema Circulatório

Prevenção

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.