População está desatenta a doenças transmitidas por alimentos

População está desatenta a doenças transmitidas por alimentos
A maioria dos entrevistados não confere etiquetas, composição, data de validade e origem dos alimentos.
[Imagem: Fiocruz]

Higiene e segurança alimentar

A carência de informações sobre higiene e segurança alimentar, destinadas aos segmentos populacionais mais vulneráveis às doenças transmitidas por alimentos (DTA), motivou o desenvolvimento de uma pesquisa coordenada pelo pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) William Waissmann.

O estudo teve como resultado a construção de uma página eletrônica e três vídeos educativos, a fim de despertar a população para a prevenção das DTA, particularmente no ambiente doméstico.

Doenças transmitidas por alimentos

As doenças transmitidas por alimentos (DTA) representam importante problema de Saúde Pública no mundo. Dados da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) indicam que metade dos casos de DTA no país ocorre no ambiente doméstico, resultante de falhas higiênicas na manipulação dos alimentos.

Os resultados apontaram que a maioria dos entrevistados (82,1%) não confere etiquetas, composição, data de validade e origem dos alimentos; metade dos participantes desconhece que alimentos sem alterações nas suas características sensoriais podem causar doenças e que produtos refrigerados devem ser selecionados ao final das compras; um terço não confere as condições dos ovos e 10% compram ou consomem carnes oriundas do comércio ambulante. Além disso, 71% dos entrevistados nunca foram orientados sobre o assunto em consultas com diferentes profissionais de saúde.

Site e vídeos educativos

O site Cuidar dos Alimentos (http://www.cuidardosalimentos.fiocruz.br/) já está disponível no Portal Fiocruz e conta com um perfil de navegação diferenciado para os públicos infantil e adulto, abordando questões relacionadas a compra, preparo, armazenamento e conservação de alimentos no ambiente doméstico, com especificações para grupos especiais.

Dois vídeos são direcionados aos públicos adolescente e adulto. No primeiro, apresenta-se a compra de alimentos em um supermercado, orientando o público de maneira correta à verificação das informações dos rótulos dos alimentos, aparência e métodos de conservação, além de critérios adequados para aquisição de alimentos. O segundo vídeo mostra os principais cuidados que devem ser adotados no preparo e conservação de alimentos e utensílios. O terceiro é voltado para o público infanto-juvenil e procura sensibilizar esse grupo por meio de um rap que trata da importância da higiene dos alimentos na prevenção das doenças.

De acordo com o coordenador da pesquisa, "a expectativa é de que os recursos educativos produzidos possam ser aplicados em diferentes ambientes, tais como: bibliotecas públicas, unidades de saúde, universidades, entidades e órgãos públicos, grupos da terceira idade e escolas, para a disseminação de conhecimentos básicos sobre práticas higiênico-sanitárias para promoção da saúde da população brasileira", informou Waissmann.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Conservação de Alimentos

Consumo Responsável

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.