Preservativos femininos deixam de pagar Imposto de Importação

Os preservativos femininos deixarão de pagar imposto de importação.

Uma resolução da Câmara de Comércio Exterior (Camex) reduziu 10% para 0% o Imposto de Importação do produto.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a redução do imposto sobre as camisinhas femininas foi motivada pela política de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis.

Tal qual a camisinha masculina, o preservativo é eficaz para proteger da gravidez indesejada e de DST/HIV/AIDS.

A camisinha feminina deve ser usada em todas as relações sexuais, mesmo durante a menstruação. Pode ser colocada na vagina imediatamente antes da penetração ou até oito horas antes da relação sexual. A camisinha é prática e não atrapalha o prazer sexual.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Saúde da Mulher

Sexualidade

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.