Psicoterapia é eficaz contra maioria dos transtornos alimentares

Psicoterapia contra bulimia e anorexia

Pesquisadores desenvolveram uma nova forma de psicoterapia que se mostrou eficaz em 80% dos casos de tratamentos de transtornos alimentares, como bulimia e anorexia.

A pesquisa reforça conclusões de um outro estudo recente, que descobriu genes no cérebro associados aos transtornos alimentares e à obesidade, levantando a possibilidade de tratamentos psicoterápicos para transtornos que afetam as sensações de apetite e a saciedade (veja Descobertos genes no cérebro associados à obesidade).

Terapia comportamental cognitiva

A nova técnica de psicoterapia "melhorada", chamada terapia comportamental cognitiva, representa um avanço em relação às psicoterapias já existentes para o tratamento da bulimia.

A terapia comportamental cognitiva é o primeiro tratamento a se mostrar adequado para a grande maioria dos transtornos alimentares.

Tipos de transtornos alimentares

A literatura médica reconhece três tipos principais de transtornos alimentares: anorexia nervosa, bulimia nervosa e uma categoria genérica com os casos restantes, denominada "transtornos alimentares atípicos," que apresenta diferentes níveis de combinação dos sintomas da bulimia e da anorexia.

Quase 50% dos casos tratados de desordens alimentares enquadram-se nesta terceira categoria genérica.

Psicoterapia melhorada

O novo tratamento foi desenvolvido pelo professor Christopher Fairburn, da Wellcome Trust, uma fundação de pesquisas biomédicas sem fins lucrativos, situada no Reino Unido.

Fairburn e seus colegas demonstraram que uma versão "melhorada" da psicoterapia para bulimia é não apenas mais eficaz do que os tratamentos anteriores, como também pode ser utilizada para o tratamento de pacientes que se enquadram na categoria de desordens alimentares atípicas.

Baixa auto-estima e perfeccionismo extremo

"Desordens alimentares são problemas de saúde mental sérios e podem ser muito estressantes para a família e para os pacientes. Agora, pela primeira vez, nós temos um único tratamento que pode ser eficaz para tratar a maioria dos casos sem a necessidade de internação dos pacientes," diz o professor Fairburn.

A nova psicoterapia amplia o enfoque do tratamento, levando em conta sintomas geralmente associados com as desordens alimentares, como baixa auto-estima e perfeccionismo extremo. O tratamento consiste em 20 sessões de terapias de 50 minutos cada uma, uma vez por semana.


Ver mais notícias sobre os temas:

Psicoterapia

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.