Silicone de próteses mamárias PIP não é tóxico, diz relatório

Reviravolta

Após uma polêmica que se espalhou por diversos países no ano passado, quando se divulgou que as próteses de silicone da empresa francesa PIP eram tóxicas, um relatório britânico apresentado nesta segunda-feira indica que o material usado nos implantes da marca não oferece riscos à saúde.

As revelações chegam mais de dois anos depois que o escândalo tomou grandes proporções e muitos países chegaram a suspender a venda dos produtos e orientaram milhares de mulheres que tinham próteses da marca a retirá-las.

Em 2011 o dono da Poly Implant Prothese (PIP) chegou a ter prisão decretada pela Justiça da França, após a descoberta de que seus produtos continham silicone industrial, que poderia causar câncer e que tinham alto risco de ruptura.

Rompimento, não câncer

O estudo do Serviço Britânico de Saúde (NHS, na sigla em inglês), liderado pelo diretor médico Bruce Keogh, diz agora que o material usado nas próteses da PIP não são tóxicos nem cancerígenos, embora tenha reiterado que a taxa de ruptura do produto é, de fato, duas vezes maior do que a normal.

Ainda em janeiro a equipe de Keogh havia indicado que não acreditava ter provas suficientes para recomendar a retirada das próteses.

O médico diz que muitos testes em diferentes países "mostraram que os implantes não são tóxicos e portanto não acreditamos que eles representem uma ameaça de longo prazo à saúde das mulheres que possuem os implantes PIP".

"No entanto, concluímos que estes implantes têm um padrão de qualidade inferior e quando comparados a outros produtos têm uma chance maior de ruptura. Portanto, recomendamos que as mulheres que possuam sintomas de uma ruptura - por exemplo maciez excessiva, dores ou caroços - consultem seus cirurgiões ou clínicos", acrescentou.

Risco de ruptura

O relatório diz que as próteses da PIP têm taxa de ruptura duas vezes maior do que o normal:

  • Após cinco anos, a taxa fica entre 6% e 12%
  • Após dez anos, a taxa é de 15% a 30%
  • Outras marcas de implantes têm taxa entre 10% e 14% após dez anos

Um estudo anterior havia indicado que o risco risco de ruptura dos implantes PIP poderia chegar a um terço.

Veja a cobertura completa o caso das próteses mamárias:


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde da Mulher

Implantes

Cuidados com a Pele

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.