Supercola substitui pontos em cirurgias do coração

Supercola substitui pontos em cirurgias do coração
A supercola cirúrgica foi inspirada no muco das lesmas.
[Imagem: Jeffrey Karp Lab/BWH]

A equipe do Dr. Jeffrey Karp, do Brigham and Women's Hospital (EUA), já havia inventado um curativo que sai da pele sem dor e até um curativo de agulhas para diminuir infecções.

Agora eles desenvolveram uma cola que promete "remendar" o coração durante uma cirurgia ou interromper hemorragias em acidentes.

Na verdade, o novo adesivo poderá substituir os pontos e os grampos não apenas nas cirurgias do coração, mas também no sistema digestivo e em procedimentos vasculares em geral.

A equipe já realizou testes em porcos que mostraram que a supercola pode selar defeitos no coração em uma questão de segundos e ainda aguentar a pressão dentro do coração.

Os médicos já usam colas para fechar ferimentos e em vários procedimentos cirúrgicos, mas nenhum desses adesivos é forte o bastante para aguentar as forças dentro das câmaras do coração ou dos grandes vasos sanguíneos.

"Desenvolvemos uma cola cirúrgica que pode ser usada em procedimentos mais abertos e invasivos e selar tecidos dinâmicos como vasos sanguíneos e o coração, além dos intestinos," disse o Dr. Jeffrey Karp.

O polímero adesivo, que repele a água e o sangue, foi inspirado na habilidade das lesmas de aderir a superfícies usando secreções viscosas que funcionam mesmo com umidade.

Segundo Karp, ainda são necessários mais estudos para garantir a segurança do uso da supercola em humanos, mas os resultados até o momento sugerem que a cola cirúrgica também poderá ser usada para fechar rapidamente feridas abertas.

Outras tentativas de criar "remendos" para reparar o coração incluem tecidos artificiais, suportes artificiais biocompatíveis e até fios de ouro.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cirurgias

Coração

Equipamentos Médicos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.