Todos os efeitos adversos (conhecidos) dos antidepressivos

Eventos adversos

Pesquisadores afirmam que nem médicos, nem psiquiatras e nem os pacientes podem estar sabendo de todos os efeitos colaterais dos medicamentos antidepressivos.

Em um estudo liderado pelo Dr. André Carvalho, da Universidade Federal do Ceará, uma equipe internacional vasculhou toda a literatura médica em busca de casos documentados de eventos adversos, tolerabilidade e segurança dos antidepressivos: inibidores seletivos da recaptação da serotonina, inibidores da recaptação da serotonina noradrenalina, bupropiona, mirtazapina, trazodona, agomelatina, vilazodona, levomilnacipran e vortioxetina.

Os resultados mostraram que vários efeitos colaterais são transitórios e podem desaparecer após algumas semanas após o início do tratamento, mas eventos adversos potencialmente graves podem persistir ou surgirem mais tarde, após o tratamento.

Algumas vezes, esses eventos adversos persistiram após a descontinuação do antidepressivo, produzindo o que os médicos chamam de comorbidade iatrogênica - condições causadas por reações adversas a medicamentos, erros médicos ou infecções hospitalares.

Efeitos colaterais dos antidepressivos

Os efeitos colaterais identificados pela equipe e documentados por estudos científicos abrangem:

  1. Sintomas gastrointestinais (náuseas, diarreia, hemorragia gástrica, dispepsia)
  2. Hepatotoxicidade
  3. Ganho de peso e alterações metabólicas
  4. Distúrbios cardiovasculares (frequência cardíaca, prolongamento do intervalo QT, hipertensão, hipotensão ortostática)
  5. Sintomas geniturinários (retenção urinária, incontinência)
  6. Disfunção sexual
  7. Hiponatremia (baixa concentração de sódio no sangue)
  8. Osteoporose e risco de fraturas
  9. Sangramento ou hemorragia
  10. Distúrbios do sistema nervoso central (redução do limiar de convulsões, efeitos secundários extrapiramidais, distúrbios cognitivos)
  11. Sudorese
  12. Distúrbios do sono
  13. Distúrbios afetivos
  14. Manifestações oftálmicas (glaucoma, catarata)
  15. Hiperprolactinemia (excesso do hormônio prolactina

Censura sobre antidepressivos

Outras áreas de preocupação quanto ao uso dos antidepressivos envolvem suicídio, segurança em casos de sobredosagem, síndromes de descontinuação, riscos durante a gravidez e a amamentação, bem como risco de doenças malignas.

"É muito pouco provável que a maioria dos prescritores de medicamentos antidepressivos esteja ciente desses efeitos colaterais devido a uma forte censura que tem estado em ação durante todos esses anos," disse o Dr. Giovanni Fava, da Universidade de Buffalo (EUA), coautor do estudo.

Os resultados foram publicados na revista médica Psychotherapy and Psychosomatics.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Ética

Meditação

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.