Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

02/05/2016

Trabalhar em equipe sincroniza emoções

Redação do Diário da Saúde
Trabalhar em equipe sincroniza emoções
Para o experimento, as equipes trabalharam em linhas de montagem de origami. [Imagem: MPI for Empirical Aesthetics]

Sincronização emocional

Pessoas que já cantaram em um coral talvez já tenham notado a situação: cantar junto sincroniza a respiração dos cantores. Mas tem mais: sincroniza também a taxa de batimentos do coração.

Esse efeito de sincronização também pode ser observado nos casais. O fenômeno frequentemente ocorre de forma inconsciente, mas há uma convergência das respostas fisiológicas do par, que geralmente reporta isto na forma de uma sensação de conexão e de pertencimento.

Sebastian Wallot, do Instituto Max Planck (Alemanha), em conjunto com um grupo de pesquisadores dinamarqueses, resolveu estudar este fenômeno em maior profundidade e verificar se a sincronização atingia também pessoas que trabalham ou jogam juntas em uma equipe.

Indicadores de emoções

Para o experimento, vários grupos de três pessoas foram colocados para fazer o maior número de dobraduras de papel - barquinhos de origami - dentro de um período de tempo especificado. As equipes trabalharam em sistemas de linha de montagem, dividindo as tarefas de dobradura entre os vários membros da equipe.

No intervalo, os grupos podiam parar para discutir se queriam experimentar uma nova técnica de dobradura para o tempo restante, ou se queriam ficar com o método antigo.

Trabalhar em equipe sincroniza emoções
A música sincroniza o cérebro dos músicos, criando uma rede intercerebral. [Imagem: Johanna Sänger/MPI for Human Development]

Durante todo o experimento, os pesquisadores mediram a excitação e as emoções dos participantes usando vários parâmetros fisiológicos: frequência cardíaca, condutância da pele e atividade de dois músculos faciais. Cada um destes parâmetros é um indicador para emoções positivas e negativas.

Sincronização emocional da equipe

Os resultados mostraram que a sincronização entre os membros da equipe - o compartilhamento das mesmas emoções positivas ou negativas - pode ser medida com precisão por meio da atividade do músculo zigomático maior, um músculo facial que desempenha um papel importante no sorriso, e pela condutância da pele, um indicador de excitação ou estresse.

E mais: quanto melhor a cooperação entre a equipe, mais harmonizada a atividade muscular.

Trabalhar em equipe sincroniza emoções
Emoções fortes também sincronizam os cérebros dos envolvidos, com emoções positivas e emoções negativas causando uma sincronia entre partes diferentes do cérebro. [Imagem: Lauri Numminmaa]

Os pesquisadores puderam inclusive usar os dados para prever qual seria a decisão dos participantes durante o intervalo. Grupos com alto nível de sincronia na atividade muscular tenderam a se mostrar mais satisfeitos com a técnica de dobradura usada e mantê-la para o segundo tempo. Os grupos com menor sincronia optaram mais frequentemente por uma mudança.

Sincronização negativa

Outro resultado interessante foi que, independentemente de como os grupos trabalharam juntos anteriormente, a sincronia caiu quando se adotou um novo método de trabalho, mostrando que a necessidade de aprender a nova técnica interrompeu a harmonia das respostas fisiológicas.

No entanto, os efeitos negativos de sincronização também foram notados: se a condutância da pele, uma medida da tensão mental e do estresse, apresentasse um alto nível de sincronização entre os membros da equipe, este nível tendia a ser uma indicação de problemas dentro do grupo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Relacionamentos

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão