Tratamento com luz azul melhora qualidade do sono em idosos

Tratamento com luz azul melhora qualidade do sono em idosos
Cientistas desenvolveram uma espécie de óculos dotado de emissores de luz azul que melhora a qualidade do sono, eliminando distúrbios crônicos apresentados por pessoas idosas.
[Imagem: Rensselaer/LRC]

Luz azul para melhorar o sono

Cientistas do Instituto Politécnico Rensselaer (EUA) desenvolveram uma espécie de óculos dotado de emissores de luz azul que melhora a qualidade do sono, eliminando distúrbios crônicos apresentados por pessoas idosas.

Os distúrbios do sono são comuns em pessoas com mais de 65 anos de idade, frequentemente causadas por quebras no chamado ritmo circadiano, uma espécie de relógio interno do nosso organismo que regula os ciclos biológicos, que se repetem aproximadamente a cada 24 horas.

Ritmo circadiano

Os pesquisadores descobriram que a luz azul é a mais eficaz na estimulação do ritmo circadiano. A aplicação da luz deve ser feita seguindo alguns critérios, que incluem a intensidade da luz, sua distribuição espacial, o tempo de exposição e a hora da exposição.

O ritmo circadiano é regulado pelas alterações entre padrões claros e escuros, fornecidos pelo dia e pela noite. Contudo, à medida que envelhecemos, alterações biológicas alteram os estímulos luminosos que chegam até a retina, reduzindo a quantidade de luz detectada pelo relógio biológico.

O cristalino, por exemplo, engrossa, enquanto a pupila encolhe, reduzindo a luz que chega até as células fotorreceptoras da retina. Há ainda as influências ambientais, como mais tempo passado dentro de casa, com um menor acesso à luz do dia, e a inadequada iluminação artificial das residências durante a noite.

O novo óculos cromoterápico funciona reforçando os sinais luminosos que chegam aos olhos, usados para sinalizar ao sistema circadiano sobre as mudanças do tempo.

Melatonina noturna

Durante a avaliação do equipamento, pacientes entre 51 e 80 anos de idade foram submetidos a dois níveis de intensidade da luz azul - 10 e 50 lux - durante 90 minutos em duas noites alternadas.

Amostras de sangue e saliva foram coletadas para verificação dos níveis da melatonina noturna, um hormônio usado como um marcador para avaliação do relógio circadiano e que apresenta níveis mais elevados à noite, quando a pessoa está em um ambiente mais escuro.

Depois de apenas uma hora de exposição à luz, o nível de supressão da melatonina noturna foi de 35% para o baixo nível de luz e de 60% para o alto nível de luz.

Além disso, a luz azul de maior intensidade suprimiu a melatonina noturna mais rapidamente e por mais tempo ao longo dos 90 minutos de exposição, mantendo-se pelos próximos 60 minutos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Fotônica

Sono

Terceira Idade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.