Faça com menos esforço treinando além da perfeição

Treinar além da perfeição reduz gasto energético
Seja você um astronauta, um músico amador ou um esportista, continuar a treinar depois que você acha que já atingiu o nível ideal faz com que você gaste menos energia em sua atividade.
[Imagem: NASA]

Perfeição eficiente

A prática pode levar à perfeição, mas um pouco de treinamento adicional pode levar a uma perfeição com menos esforço.

Seja você um atleta, um músico ou um paciente que sofreu derrame tentando reaprender a andar, o treinamento persistente pode levá-lo a atingir seus objetivos.

O que Alaa Ahmed, da Universidade do Colorado (EUA), descobriu agora é que um pouco mais de prática, mesmo depois de atingido o objetivo, pode levá-lo a uma "perfeição eficiente".

Por perfeição eficiente ela entende um jeito de praticar gastando menos energia.

"A mensagem é que, a fim de praticar com menos esforço, mantenha o treinamento, mesmo depois que parece que a tarefa já foi aprendida," diz a pesquisadora.

Custo total de energia

Os experimentos mostraram que o que se considera aprender uma tarefa motora corresponde a um estado estável de atividade muscular.

Isto é, conforme a pessoa vai aprendendo o movimento, sua atividade muscular vai diminuindo, até atingir um nível estável.

Contudo, se o treinamento continua além desse ponto, o custo total de energia consumido pelo corpo da pessoa continua a diminuir.

No fim da tarefa, o custo metabólico líquido, medido pelo consumo de oxigênio e pela exalação de dióxido de carbono, decresce até 20%.

Economia cerebral

"Nós demonstramos que há uma vantagem clara em continuar treinando depois que não se percebe qualquer ganho visível em termo de desempenho," diz a pesquisadora.

O estudo sugere que movimentos eficientes envolvem, em última instância, tanto uma eficiência biomecânica quanto um processamento neural eficiente.

"Nós suspeitamos que o decréscimo no custo metabólico pode envolver uma atividade cerebral mais eficiente," disse Ahmed.

"O cérebro pode estar modulando características sutis da atividade muscular, recrutando outros músculos ou reduzindo sua própria atividade para tornar os movimentos mais eficientes."

Para ela, as conclusões do estudo são particularmente importantes para pacientes de fisioterapia, tentando recuperar movimentos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Atividades Físicas

Neurociências

Educação

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.