Vacina antivermes da Fiocruz entra na fase final de testes

Vacina anti-vermes da Fiocruz entra na fase final de testes
Trata-se da primeira vacina totalmente brasileira e a única vacina parasitária do mundo.
[Imagem: Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Dublin]

Vacina contra vermes

Há 35 anos, a Fiocruz estuda uma vacina para helmintos (vermes), principalmente com foco no combate à esquistossomose, doença que atinge 200 milhões de pessoas no mundo.

Os pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) isolaram, em 1990, uma molécula que é vital para os helmintos - a SM14. Os resultados foram protegidos por patentes.

Com base nesta molécula, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os estudos permitiram obter dois produtos: um candidato a vacina para esquistossomose (que terá a fase 1 de testes clínicos iniciada pela Fiocruz ainda em 2010) e uma vacina para a fasciolose, doença parasitária mais comum em gado no mundo.

Boas práticas de fabricação

Estão agora em curso estudos de formulação para maximizar a proteção da vacina, de forma eficaz e segura. Trata-se da primeira vacina totalmente brasileira e a única vacina parasitária do mundo.

Recentemente, os pesquisadores conseguiram escalonar a molécula em laboratório e produzir o chamado "lote GMP", produzido em condições de boas práticas de fabricação (Good Manufacturing Practices).

Esta etapa é fundamental para a realização de testes clínicos humanos. Além disso, foi desenvolvida a grade de controle de qualidade, dentro dos mais rigorosos padrões internacionais.

Parceria público privada

Em 2005, a empresa Alvos licenciou a vacina veterinária e a vacina humana desenvolvida pelos pesquisadores da Fiocruz, numa parceria público privada. Agora, a Ourofino Agronegócios Ltda acaba de adquirir a Alvos, assumindo todo o processo.

A coordenadora da pesquisa, a médica Mirian Tendler, do IOC/Fiocruz, aponta que conseguir um parceiro industrial dentro do Brasil é uma grande conquista. "Com a parceria, a vacina contra fasciolose hepática terá seu desenvolvimento muito acelerado," afirma.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Desenvolvimento de Medicamentos

Higiene Pessoal

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.