Vasectomia: Saiba mais sobre indicação, segurança e reversão

Contraceptivo masculino

A vasectomia é um método contraceptivo masculino que consiste em fazer uma ligadura nos canais responsáveis por conduzir os espermatozoides, impedindo, assim, que cheguem até a uretra, evitando uma gravidez indesejada.

Muitos homens ainda se assustam com a ideia de uma intervenção na área genital, mas o procedimento é simples, feito através de anestesia local, sem necessidade de internação.

Condições para a vasectomia

No entanto, nem todos que procuram pela vasectomia estão aptos a realizar a intervenção.

O procedimento de esterilização masculina pode ser realizado apenas em homens acima de 25 anos ou que tenham, pelo menos, dois filhos vivos. Além disso, os pacientes têm que ter capacidade civil plena, de acordo com o previsto na Lei nº 9.263/96 de 12 de Janeiro de 1996 e se submeter à cirurgia somente 60 dias depois da manifestação de vontade.

"O paciente que deseja realizar a vasectomia passa por uma etapa de conscientização e consentimento que consiste em um processo de entrevistas com profissionais de saúde, como enfermeiro, psicólogo, assistente social e o médico responsável," explica Angelita Herrmann, Coordenadora Nacional de Saúde do Homem.

Vasectomia pelo SUS

A cirurgia não interfere na atividade sexual e a taxa de segurança da vasectomia é de 98%.

Recomenda-se o uso de outros métodos contraceptivos, como a camisinha, durante as primeiras relações sexuais após a intervenção. Isso porque, nas primeiras ejaculações depois do procedimento, ainda pode haver espermatozoides armazenados na parte superior do canal.

Para realizar o procedimento pelo SUS, é preciso dirigir-se a uma Unidade Básica de Saúde, onde os profissionais vão avaliar e encaminhar o usuário aos serviços especializados. "A busca deve ser feita a partir do serviço de atenção básica, porque o processo começa com essa equipe", explica Angelita.

O SUS realiza em média mais de 35 mil cirurgias de vasectomia por ano.

Reversão da vasectomia

Paralelamente ao aumento do número de homens vasectomizados, tem aumentado o número daqueles que passam a desejar ter novos filhos. A causa mais comum é a constituição de novas famílias com mulheres que ainda não têm filhos. Outras causas eventuais, como falecimento de filhos, também são citadas esporadicamente.

Existe a possibilidade real de reversão microcirúrgica da vasectomia, mas o tempo entre a vasectomia e a sua reversão é de vital importância para a obtenção dos melhores resultados.

Nas reversões com menos de três anos após a vasectomia, a chance de obtenção de espermatozoides no esperma ejaculado é de 95%, com 76% de taxa de gravidez; entre 3 e 8 anos, 88% de espermatozoides no esperma ejaculado, com 53% de chances de gravidez; entre 9 a 14 anos, 79% de espermatozoides no esperma ejaculado e 44% de gravidez; após 15 anos, 71% de permeabilidade dos deferentes com 30% de gravidez. É importante lembrar que essas taxas de gravidez reportadas são obtidas por meios naturais.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde do Homem

Sexualidade

Cirurgias

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.