Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

08/02/2016

Zika: bastidores revelam interesses negociais

Com informações da BBC

Negócios, não saúde

Na última quinta-feira, a empresa farmacêutica norte-americana Inovio anunciou planos de desenvolver uma vacina contra o vírus zika, que soaram promissores por causa dos prognósticos de testagem em seres humanos já no final de 2016 - muito mais rápido do que as estimativas mais otimistas feitas previamente por outras companhias e instituições de pesquisa.

E um detalhe curioso é que os planos do laboratório foram divulgados pela revista de economia e negócios Fortune.

A epidemia do vírus no Brasil e em pelo menos outros 20 países das Américas, junto ao surgimento de casos nos EUA e na Europa, poderá alimentar uma "corrida do ouro" no mercado global de vacinas, segmento que passa por uma espécie de ressurreição depois de por décadas ter sido, segundo observadores, negligenciado pela indústria farmacêutica.

De acordo com dados de uma série de consultorias americanas e europeias, as vacinas movimentaram cerca de US$ 24 bilhões em 2014, ante US$ 8,9 bilhões em 2005.

Embora o volume seja uma parte ínfima da registrada pelo mercado farmacêutico global anualmente - US$ 300 bilhões, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) -, o crescimento anual tem sido de 10% a 15%, superando a taxa dos remédios (5% a 7%).

Oportunidades de negócios

"O surto do zika é, sem dúvida, uma oportunidade de negócios que antes não parecia existir porque a doença parecia 'benigna' o suficiente para não justificar o investimento em curas ou prevenção. A suspeita de que o vírus causa microcefalia, porém, criou novo interesse e agora companhias estão anunciando que estão desenvolvendo vacinas", explica Ana Nicholls, analista de indústria farmacêutica da Economist Intelligence Unit, em Londres.

No passado, algumas grandes companhias farmacêuticas chegaram a se desfazer de suas divisões de vacinas, mas, segundo analistas, o setor ganhou novo impulso graças a uma combinação de fatores.

A começar pelo surgimento de novas oportunidades de financiamento, sobretudo doações filantrópicas - em 2010, por exemplo, o bilionário da informática Bill Gates anunciou planos de investir US$ 10 bilhões no desenvolvimento de vacinas.

A evolução na tecnologia de produção e pesquisa também tornou o mercado mais atrativo, ainda mais depois da descoberta das chamadas vacinas blockbuster, mais voltadas para o mercado adulto e que podem ser vendidas a preços mais salgados.

Questão de mercado

Enquanto entidades internacionais como a OMS e a Aliança Global para as Vacinas e a Vacinação (GAVI) adotam certa cautela diante dos anúncios de novas iniciativas, o mercado parece gostar.

No dia em que anunciou os planos para sua vacina genética contra o zika, a Inovio viu suas ações na Bolsa de Nova York subirem 8%. E em tempos de preocupação com o avanço do vírus e de mais pessoas expostas as suas possíveis complicações, anúncios do gênero também podem despertar a atenção de autoridades públicas de saúde - que têm cofres grandes e podem comprar em grandes quantidades.

Um relatório da ONG Médicos Sem Fronteiras, divulgado no ano passado, estimou que, em média, o custo de vacinação de crianças nas regiões mais carentes do mundo cresceu quase 70 vezes desde 2001. Estimativas informais de analistas do mercado farmacêutico são de que uma vacina contra o zika poderia custar entre US$ 10 e US$ 50 por dose.

"Por isso, é bastante importante que os esforços contra o zika não se resumam ao desenvolvimento de vacinas. O vírus também oferece oportunidades para empresas voltadas, por exemplo, para a erradicação do Aedes aegypti. Há diferentes interesses em jogo e isso pode dar margem para muito lobby", avalia Ana Nicholls.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Vacinas

Prevenção

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?