Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

02/09/2016

Aspirina preventiva a cada três dias reduz complicações gástricas

Com informações da Agência Brasil
Aspirina preventiva a cada três dias reduz complicações gástricas
O uso constante e diário da aspirina costuma provocar complicações gastrointestinais graves.[Imagem: Cortesia Univ.Oxford]

Hemorragia gástrica

Apesar das muitas controvérsias, o ácido acetilsalicílico (AAS), ou aspirina, tem sido utilizado para prevenir o infarto, a doença vascular periférica ou o acidente vascular cerebral (AVC).

Ocorre que o uso constante e diário da aspirina costuma provocar complicações gastrointestinais graves.

"O problema de usar aspirina é que ela tem um efeito colateral importante, causando irritação no estômago. Essa irritação pode não dar sintomas e o paciente pode apresentar uma hemorragia gástrica", explica o professor Gilberto de Nucci, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Dose de aspirina

A equipe do professor Gilberto realizou então uma série de estudos tentando encontrar uma dosagem da aspirina que possa apresentar um melhor equilíbrio entre obter os efeitos benéficos e minimizar os efeitos colaterais.

Eles concluíram que tomar aspirina a cada três dias pode ser eficiente na prevenção dessas doenças e também evita as complicações gastrointestinais causadas pelo uso diário do medicamento.

"Tem pacientes que não tomam aspirina, e que deveriam tomar, porque [a aspirina] apresenta risco de hemorragia muito alto. Mas agora demonstramos que esse esquema terapêutico é tão benéfico quanto os anterioresm com a vantagem demonstrada de não causar nenhuma irritação", ressaltou o pesquisador.

Prostaglandina

O ácido acetilsalicílico evita que as plaquetas se agrupem e obstruam os vasos sanguíneos. Por isso é que popularmente se diz que o AAS "afina" o sangue. Por outro lado, ao mesmo tempo, a aspirina atua na mucosa gástrica, diminuindo a produção de prostaglandinas - substâncias lipídicas que protegem o estômago e o intestino.

"Quando fizemos esse estudo, verificamos que, quando tomada a aspirina de três em três dias a eficácia para prevenir a formação do trombo era a mesma. Entretanto, a produção de prostaglandina, quando se tomava [a aspirina] todo dia, havia redução de 50%. Quando tomava de três em três dias, não havia redução da produção de prostaglandina", explicou o professor Gilberto.

Aspirina preventiva

Como o estudo foi feito em pequena escala, envolvendo apenas 24 pacientes, será necessário aferir os resultados em grupos maiores para que o protocolo de tratamento possa ser aplicado de forma geral, sobretudo porque se sabe que a aspirina não previne ataques cardíacos em todos os pacientes.

Veja outros estudos realizados sobre o uso preventivo da aspirina:


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Prevenção

Sistema Circulatório

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?