Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

15/05/2014

Pele humana feita em laboratório pode substituir testes em animais

Com informações da BBC
Pele humana crescida em laboratório pode substituir testes em animais
Pesquisadores finalmente conseguiram algo mais parecido com pele de verdade, incluindo uma barreira permeável. [Imagem: Kings College]

Pele humana artificial, cultivada em laboratório, logo poderá começar a substituir os animais em testes de medicamentos e cosméticos.

Uma equipe internacional anunciou ter conseguido cultivar uma camada de pele humana a partir de células-tronco.

Células-tronco já haviam sido convertidas em células da pele antes, mas os pesquisadores afirmam que agora eles conseguiram algo mais parecido com pele de verdade, incluindo uma barreira permeável.

A camada mais externa da pele humana, conhecida como epiderme, fornece uma barreira protetora que impede que a umidade escape e que os micróbios entrem.

Mas a pele precisa respirar, o que significa que essa camada precisa ser permeável.

Barreira da pele

Segundo a equipe, o resultado é uma alternativa de baixo custo aos testes de medicamentos e cosméticos em animais, que estão sendo proibidos em várias partes do mundo.

"Este é um modelo novo e adequado que pode ser usado para testar novos medicamentos e cosméticos e pode substituir os modelos animais," garante o Dr. Dusko Ilic, do Kings College de Londres. "É barato, é fácil de escalonar e é reprodutível."

Segundo o pesquisador, o mesmo método pode ser usado para testar novos tratamentos para doenças da pele, tais como ictiose - pele seca e escamosa - ou eczema.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cobaias

Cuidados com a Pele

Desenvolvimento de Medicamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão