Uma criança é tratada a cada 3 minutos por acidentes com brinquedos

Uma criança é tratada a cada 3 minutos por acidentes com brinquedos
Recentemente um psicólogo criou uma técnica para ajudar a escolher um brinquedo que atraia a atenção de uma criança.
[Imagem: Wikipedia]

Acidentes com brinquedos

Brinquedos, seja nesta temporada de Natal ou em qualquer outra, são uma forma importante para que as crianças se desenvolvam, aprendam e explorem o mundo.

Mas quem está planejando comprar novos brinquedos, ou qualquer pessoa que já tenha brinquedos em casa, deve saber que alguns deles representam um risco de ferimentos nas crianças maior do que outros.

No primeiro estudo desse tipo, pesquisadores liderados por pediatras do Hospital Nacional da Criança (EUA) constataram que um número estimado em 3.278.073 crianças foram atendidas nos serviços de emergência dos EUA, entre 1990 e 2011, por lesões relacionadas com brinquedos.

No último ano da série, uma criança foi atendida a cada 3 minutos por ferimentos decorrentes do uso de brinquedos. Pouco mais da metade das lesões aconteceu com crianças menores de 5 anos de idade.

O estudo também constatou que a taxa de lesões aumentou quase 40% durante o período de 22 anos que os pesquisadores analisaram.

Brinquedos com rodas

Crianças menores de 3 anos de idade estão particularmente em risco de asfixia por brinquedos pequenos ou pequenas peças de brinquedos. Durante o período do estudo, foram mais de 109 mil casos de crianças com menos de 5 anos que engoliram ou inalaram "corpos estranhos" - o equivalente a quase 14 casos por dia.

Conforme as crianças ficam mais velhas, aumentam as lesões envolvendo brinquedos com rodas do tipo veicular, que as crianças sobem em cima. Esses brinquedos - que incluem patinetes, carrinhos de pedal e triciclos - foram associados com 42% de lesões em crianças de 5 a 17 anos de idade e 28% das lesões em crianças menores de 5 anos.

E as lesões com esses brinquedos foram três vezes mais propensas a envolver um osso quebrado ou uma luxação do que outros brinquedos.

Quedas (46%) e colisões (22%) foram as formas mais comuns que as crianças de todas as idades se feriram em associação com brinquedos de todas as categorias.

"A crescente frequência de lesões nas crianças associadas com brinquedos, especialmente aquelas associadas com patinetes impulsionados pelo pé, é preocupante," disse o Dr. Gary Smith, da Universidade do Estado de Ohio e membro da equipe que fez o estudo.

"Isso reforça a necessidade de maiores esforços para prevenir essas lesões nas crianças. Existem oportunidades importantes para a melhoria dos padrões de segurança dos brinquedos, do projeto dos produtos, de recalls eficazes, e para a educação do consumidor," disse o pediatra.

Dicas para brincar sem risco de machucar

A equipe dá as seguintes dicas para os pais e cuidadores de crianças de forma a mantê-las em segurança com seus brinquedos:

  • Siga as restrições de idade e outras orientações do fabricante para todos os brinquedos.
  • Examine os brinquedos em busca de peças pequenas que possam representar risco de asfixia para crianças pequenas.
  • Use brinquedos do tipo veículo em superfícies secas, lisas e longe do tráfego de automóveis.
  • Supervisione de perto qualquer criança menor de 8 anos de idade em um brinquedo do tipo veículo.
  • Em brinquedos veiculares, sempre coloque na criança capacete, joelheiras e cotoveleiras.


Ver mais notícias sobre os temas:

Diversão

Educação

Cuidados com a Família

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.