21/08/2020

Alzheimer poderá ser diagnosticado pela meleca do nariz

Redação do Diário da Saúde
Alzheimer poderá ser diagnosticado pela meleca do nariz
Professor Cheil Moon e sua aluna Gowoon Son, que descobriram como monitorar o Alzheimer pela secreção nasal.
[Imagem: DGIST]

Exame da secreção nasal

Cientistas do Instituto de Ciência e Tecnologia Daegu Gyeongbuk, na Coreia do Sul, descobriram uma nova maneira de diagnosticar a doença de Alzheimer analisando os níveis de proteínas específicas presentes no muco nasal.

Este método simples e barato pode ajudar no diagnóstico precoce do Alzheimer, de forma a iniciar o tratamento o mais cedo possível - como não existe cura para a doença, o grande esforço é retardar a progressão do Alzheimer.

As tecnologias atualmente disponíveis para o diagnóstico de doença neurodegenerativa são limitadas porque envolvem máquinas caras e procedimentos invasivos ou inconvenientes.

"Em 2017, descobrimos que a disfunção olfatória ocorria nos estágios iniciais da doença de Alzheimer em camundongos e sugerimos que a causa dos sintomas fosse induzida por espécies solúveis de amiloide-β (Aβ), acúmulos de oligômeros no sistema olfatório periférico. Levantamos então a hipótese de que os oligômeros solúveis Aβ poderiam ser detectáveis na secreção nasal e que eles podem ser um parâmetro útil para monitorar a progressão da doença," contou o professor Cheil Moon, que liderou o estudo.

Presença e progressão da doença

Coletando e comparando amostras de secreção nasal de pacientes com Alzheimer e pessoas de um grupo de controle da mesma idade, a equipe confirmou que os níveis de dois oligômeros Aβ (as formas agregadas de Aβ implicadas como características da doença de Alzheimer) eram consistentemente maiores em pacientes do grupo com Alzheimer.

Mais do que isso, os níveis da forma "solúvel" dessa proteína podem ser usados não apenas para identificar os indivíduos saudáveis em relação àqueles com Alzheimer, mas também pode prever o início e a progressão da doença em um período de três anos.

Embora mais pesquisas sejam necessárias para entender melhor a ligação entre os oligômeros Aβ na secreção nasal e os prejuízos cognitivos relacionados ao Alzheimer, os resultados são certamente promissores.

"Rastreios de secreção nasal de rotina seriam uma opção melhor para diagnosticar Alzheimer devido às suas várias vantagens, como o seu custo relativamente baixo e natureza não invasiva. Os resultados do nosso estudo introduzem uma abordagem nova e simples para avaliar a progressão do Alzheimer," concluiu o professor Moon.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Longitudinal profiling of oligomeric Aβ in human nasal discharge reflecting cognitive decline in probable Alzheimer’s disease
Autores: Seung-Jun Yoo, Gowoon Son, Jisub Bae, So Yeun Kim, Yong Kyoung Yoo, Dongsung Park, Seung Yeop Baek, Keun-A Chang, Yoo-Hun Suh, Yeong-Bae Lee, Kyo Seon Hwang, YoungSoo Kim, Cheil Moon
Publicação: Nature Scientific Reports
Vol.: 10, Article number: 11234
DOI: 10.1038/s41598-020-68148-2
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Diagnósticos

Exames

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.