16/09/2021

Atualizadas diretrizes para prevenção de doenças cardiovasculares

Redação do Diário da Saúde

Como proteger o coração

A Sociedade Europeia de Cardiologia atualizou suas diretrizes para a prevenção das doenças cardiovasculares, que reúnem as principais causas de morte e debilitação em todo o mundo.

Segundo o documento, até 90% do risco de um ataque cardíaco, derrame ou doença arterial periférica (DAP) pode ser explicado pelo fumo, hábitos alimentares inadequados, falta de atividade física, obesidade abdominal, hipertensão, níveis elevados de lipídios no sangue, diabetes, fatores psicossociais ou álcool.

Isso enfoca a doença cardiovascular aterosclerótica, que afeta as artérias: Como o interior das artérias fica obstruído por depósitos de gordura, elas não conseguem mais fornecer sangue suficiente para o corpo. Este processo é a principal causa de ataques cardíacos, derrames, DAP e morte súbita, em que as artérias ficam completamente bloqueadas.

As novas diretrizes destacam as medidas mais importantes para prevenir essas condições, focando na adoção de um estilo de vida saudável ao longo da vida, especialmente não fumar, e tratar os fatores de risco.

Não fumar

Parar de fumar é potencialmente a mais eficaz de todas as medidas preventivas, com reduções substanciais dos ataques cardíacos ou morte. O risco de doença cardiovascular aterosclerótica em fumantes com menos de 50 anos é cinco vezes maior do que em não-fumantes. O abandono do tabagismo deve ser encorajado a todos os fumantes, diz a entidade, e o fumo passivo deve ser evitado sempre que possível.

Pela primeira vez, as diretrizes afirmam explicitamente que parar de fumar é recomendado e permanece benéfico, independentemente do ganho de peso. Embora as evidências sugiram que os cigarros eletrônicos possam ser mais eficazes do que a terapia de reposição de nicotina para parar de fumar, os efeitos de longo prazo na saúde cardiovascular e pulmonar não são claros e o uso duplo com cigarros de tabaco deve ser evitado.

Atividades físicas

Com relação aos exercícios físicos, adultos de todas as idades devem se esforçar por pelo menos 150 a 300 minutos por semana de intensidade moderada, ou 75 a 150 minutos por semana de intensidade vigorosa, atividade física aeróbica ou uma combinação equivalente.

Pela primeira vez, é recomendado reduzir o tempo sedentário e praticar pelo menos atividades leves ao longo do dia. Outra novidade é considerar rastreadores de atividades vestíveis para aumentar a atividade. As diretrizes afirmam: "O mais importante é encorajar atividades que as pessoas gostem e/ou possam incluir em suas rotinas diárias, já que essas atividades têm maior probabilidade de ser sustentáveis."

Nutrição

No tocante à nutrição, uma alimentação saudável é recomendada para todos os indivíduos para prevenir doença cardiovascular aterosclerótica.

Essa prática deve dar ênfase aos alimentos vegetais, incluindo grãos inteiros, frutas, vegetais, leguminosas e nozes.

Novidades nas recomendações incluem a adoção de uma dieta mediterrânea ou semelhante; restringir a ingestão de álcool a um máximo de 100 g por semana (uma bebida padrão contém de 8 a 14 g); comer peixe, de preferência gorduroso, pelo menos uma vez por semana; e restringir o consumo de carne, especialmente carne processada.

Peso corporal

Em termos de peso corporal, é recomendado que pessoas com sobrepeso e obesas percam peso para reduzir a pressão arterial, os lipídios do sangue e o risco de diabetes e, assim, reduzir a probabilidade de doença cardiovascular aterosclerótica.

Pela primeira vez, as diretrizes afirmam que a cirurgia bariátrica deve ser considerada para indivíduos obesos com alto risco de doença cardiovascular aterosclerótica, quando uma dieta saudável e exercícios não resultam em perda de peso contínua.

Saúde mental

Condições consideradas como de saúde mental, como ansiedade, estão associadas a um risco aumentado de doença cardiovascular aterosclerótica e a um pior prognóstico para aqueles já diagnosticados com a condição.

Uma nova recomendação é fornecer suporte intensificado aos pacientes com essas condições para melhorar a adesão às mudanças no estilo de vida e ao tratamento medicamentoso. Outra novidade é considerar o encaminhamento para gerenciamento de estresse psicoterapêutico para pacientes com doença cardiovascular aterosclerótica e estresse.

Saúde pública

As diretrizes recomendam intervenções políticas em nível populacional para melhorar a saúde cardíaca e promover escolhas saudáveis. Isso inclui medidas para diminuir a poluição do ar, reduzir o uso de combustíveis fósseis e limitar as emissões de dióxido de carbono.

Outras medidas são maior disponibilidade de espaços de recreação escolar e legislações que restrinjam a comercialização de alimentos não saudáveis para crianças na televisão, internet, mídia social e embalagens de alimentos.

Os cigarros eletrônicos, que causam dependência, devem estar sujeitos a controles de marketing semelhantes aos cigarros convencionais, especialmente variedades com sabores que atraem as crianças. A rotulagem de álcool com conteúdo calórico e advertências de saúde também deve ser considerada.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Guidelines on cardiovascular disease prevention in clinical practice
Autores: Frank L. J. Visseren, François Mach, Yvo M Smulders, David Carballo, Konstantinos C. Koskinas, Maria Bäck, Athanase Benetos, Alessandro Biffi, José-Manuel Boavida, Davide Capodanno, Bernard Cosyns, Carolyn Crawford, Constantinos H. Davos, Ileana Desormais, Emanuele Di Angelantonio, Oscar H. Franco, Sigrun Halvorsen, F. D. Richard Hobbs, Monika Hollander, Ewa A. Jankowska, Matthias Michal, Simona Sacco, Naveed Sattar, Lale Tokgozoglu, Serena Tonstad, Konstantinos P. Tsioufis, Ineke van Dis, Isabelle C. van Gelder, Christoph Wanner, Bryan Williams
Publicação: European Heart Journal
Vol.: ehab484
DOI: 10.1093/eurheartj/ehab484
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Coração

Sistema Circulatório

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.