29/12/2020

Por que exercícios pesados são bons para quem tem problemas de coração?

Redação do Diário da Saúde
Por que problemas de coração adoram exercícios pesados?
Já se sabia que nem todos os tipos de atividade física são bons para o coração.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Exercícios para o coração

O treinamento intervalado de alta intensidade fortalece o coração ainda mais do que o exercício moderado.

O que tem intrigado os cientistas é que isso tem-se mostrado particularmente verdadeiro para pessoas que têm problemas cardíacos, aos quais, por décadas, foi dito para sequer se exercitarem.

Agora, pesquisadores afirmam ter encontrado várias respostas para o que torna os exercícios pesados tão eficazes para corações que já estão apresentando problemas.

"Nós descobrimos que o exercício melhora propriedades importantes, tanto na forma como as células do músculo cardíaco lidam com o cálcio, como na condução dos sinais elétricos no coração. Essas melhorias permitem que o coração bata mais vigorosamente, o que pode neutralizar distúrbios do ritmo cardíaco que apresentam risco de vida," disse o professor Tomas Stolen, na Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia.

Como o coração bate

Para que o coração seja capaz de bater com força, de modo regular e sincronicamente, muitas funções precisam trabalhar juntas. Cada vez que o coração bate, o nó sinusal - o marcapasso natural do coração - envia impulsos elétricos para o resto do coração. Esses impulsos elétricos são chamados de potenciais de ação.

Todas as células do músculo cardíaco são envolvidas por uma membrana. Em repouso, a tensão elétrica no interior da membrana celular é negativa em comparação com a tensão externa. A diferença entre a voltagem externa e a interna da membrana celular é chamada de potencial de membrana em repouso.

Quando os potenciais de ação alcançam as células do músculo cardíaco, eles precisam superar o potencial de membrana em repouso de cada célula para despolarizar a parede celular. Quando isso acontece, o cálcio pode fluir para a célula por meio de canais na membrana celular.

Por que problemas de coração adoram exercícios pesados?
Se você não está preocupado só com o coração, saiba que, para viver mais, você deve se exercitar do seu jeito.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

É o cálcio que inicia a contração das células do músculo cardíaco. Quando esse processo está completo, o cálcio é transportado para fora da célula ou de volta para seu local de armazenamento, dentro de cada célula do músculo cardíaco. A partir daí, o cálcio está pronto para contribuir para uma nova contração na próxima vez que um potencial de ação surgir.

Se a condução elétrica do coração ou o sistema de gerenciamento de cálcio falhar, o risco é que menos células do músculo cardíaco se contraiam ou que a contração em cada célula seja fraca, fazendo os sinais elétricos se tornarem caóticos. O resultado disso é que as câmaras cardíacas começam a tremer.

"Todos esses processos são disfuncionais quando alguém tem insuficiência cardíaca. Os potenciais de ação duram muito tempo, o potencial de repouso das células é muito alto e a função de transporte dos canais de cálcio na parede celular não funciona. O cálcio então vaza constantemente de seus locais de armazenamento dentro de cada célula do músculo cardíaco," explicou Stolen.

Exercícios pesados para proteger o coração

É nesse ponto que entram as boas notícias: "Nossos resultados mostram que o treinamento intensivo pode reverter total ou parcialmente todas essas disfunções," disse Stolen.

O experimento envolveu animais de laboratório divididos em dois grupos: o primeiro foi submetido ao treinamento intervalado de alta intensidade, enquanto o segundo grupo fez exercícios mais calmos. Mas a única diferença estava no tempo, e não no esforço total: todos percorreram as mesmas distâncias, mas alguns o fizeram rapidamente, e os outros mais lentamente.

Embora todos os animais tenham se beneficiado dos exercícios, aqueles que fizeram o trabalho mais árduo, percorrendo as distâncias em menos tempo, apresentaram o maior nível de diversas melhorias de saúde, incluindo os já destacados benefícios ao coração.

Quando os pesquisadores tentaram induzir problemas cardíacos nos animais, aqueles submetidos ao treinamento intervalado de alta intensidade se mostraram imunes ao problema.

"Por exemplo, fomos capazes de induzir fibrilação cardíaca em cinco de oito animais após um período de exercício moderado, e sua capacidade de bombeamento melhorou apenas a metade do que no grupo de treinamento intervalado," contou Stolen.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Exercise training reveals micro-RNAs associated with improved cardiac function and electrophysiology in rats with heart failure after myocardial infarction
Autores: Tomas O. Stolen, Morten A. Hoydal, Muhammad Shakil Ahmed, Kari Jorgensen, Karin Garten, Maria P. Hortigon-Vinagre, Victor Zamora, Nathan R. Scrimgeour, Anne Marie Ormbostad Berre, Bjarne M. Nes, Eirik Skogvoll, Anne Berit Johnsen, Jose B.N. Moreira, Julie R. McMullen, Håvard Attramadal, Godfrey L. Smith, oyvind Ellingsen, Ulrik Wisloff
Publicação: Journal of Molecular and Cellular Cardiology
DOI: 10.1016/j.yjmcc.2020.08.015
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Coração

Prevenção

Atividades Físicas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.