30/03/2021

Cansado no trabalho? Dê uma paradinha, será bom para você e para a empresa

Redação do Diário da Saúde
Cansado no trabalho? Dê uma paradinha, será bom para você e para a empresa
As pessoas se mostraram mais propensas a fazer os microintervalos se sentissem que seu empregador se preocupava com a saúde e o bem-estar de seus trabalhadores.
[Imagem: StockSnap/Pixabay]

Microintervalos

Se você está se sentindo exausto no trabalho, não precisa ir para casa nem dormir sobre a mesa do escritório.

Você pode usar "microintervalos" - intervalos curtos, voluntários e improvisados da jornada de trabalho, que podem incluir coisas como fazer um lanche, conversar com um colega, alongar-se ou fazer palavras cruzadas.

Em experimentos reais, essas paradinhas eventuais ajudaram funcionários cansados a se recuperar do cansaço durante a jornada e a se envolver melhor com o trabalho ao longo do dia.

"Um microintervalo é, por definição, curto," detalha a professora Sophia Cho, da Universidade Estadual da Carolina do Norte (EUA). "Mas uma pausa de cinco minutos pode ser de ouro se você fizer isso no momento certo. Nosso estudo mostra que é do interesse da empresa dar aos funcionários autonomia em termos de microintervalos quando eles são necessários - isso ajuda os funcionários a gerenciar com eficácia sua energia e a se envolver em seu trabalho ao longo do dia."

Bom para o trabalhador e bom para a empresa

O primeiro experimento envolveu 98 trabalhadores nos Estados Unidos. Os participantes do estudo preencheram duas pesquisas por dia, durante 10 dias de trabalho consecutivos. As pesquisas foram realizadas pela manhã e ao final da jornada de trabalho.

O segundo experimento incluiu 222 trabalhadores na Coreia do Sul, com os participantes completando três pesquisas por dia, durante cinco dias úteis. Os voluntários responderam às pesquisas pela manhã, após o almoço e ao final da jornada de trabalho.

As perguntas nos dois casos tinham como objetivo coletar dados sobre a qualidade do sono, níveis de fadiga, bem como o envolvimento com o trabalho e as experiências no local de trabalho naquele dia.

Os resultados foram conclusivos: Nos dias em que as pessoas já estavam cansadas ao chegarem ao trabalho, elas tendiam a fazer os microintervalos com mais frequência. E fazer os microintervalos as ajudou a manter seu nível de energia. Isso, por sua vez, as ajudou a atender às demandas do trabalho e se envolver melhor com as tarefas.

Além disso, os pesquisadores descobriram que as pessoas se mostraram mais propensas a fazer os microintervalos se sentissem que seu empregador se preocupava com a saúde e o bem-estar de seus trabalhadores.

"Quando as pessoas pensam que seu empregador se preocupa com sua saúde, elas se sentem mais seguras para tomar decisões livremente sobre quando usar os microintervalos e que tipo de microintervalos usar," comentou Cho. "E isso é bom tanto para o empregador quanto para o empregado."

Checagem com artigo científico:

Artigo: Daily microbreaks in a self-regulatory resources lens: Perceived health climate as a contextual moderator via microbreak autonomy
Autores: S. Kim, S. Cho, Y. Park
Publicação: Journal of Applied Psychology
DOI: 10.1037/apl0000891
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Trabalho e Emprego

Prevenção

Felicidade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.