09/12/2019

Optocêutica: Nova técnica usa luz para recuperar tecidos do corpo humano

Redação do Diário da Saúde
Optocêutica: Nova técnica usa luz para recuperar tecidos do corpo humano
Já existem várias técnicas terapêuticas baseadas em luz, como a laserterapia e a terapia fotodinâmica. Mas o crescimento de tecidos usando luz é novidade.
[Imagem: IIT-Istituto Italiano di Tecnologia]

Optocêutica

Pesquisadores do Instituto Italiano de Tecnologia usaram a luz, juntamente com materiais fotossensíveis e biocompatíveis, para facilitar a formação de novos vasos sanguíneos.

Essa nova técnica, denominada optocêutica, abre novos horizontes para a medicina regenerativa.

A medicina regenerativa tem o objetivo de reparar, regenerar e substituir células, tecidos e até órgãos danificados por defeitos congênitos, doenças, lesões ou envelhecimento, a fim de restabelecer as funções fisiológicas.

As técnicas com luz representam a mais recente adição a essa caixa de ferramentas em desenvolvimento. As técnicas atualmente disponíveis, compreendendo a terapia genética e a engenharia biomédica, fazem uso de artefatos químicos, medicamentos e estímulos físicos, mas, infelizmente, muitas vezes carecem de seletividade e reversibilidade.

"Estamos falando de uma técnica completamente nova que pode nos levar a importantes resultados na engenharia de tecidos. O uso da luz como estímulo é muito mais versátil e muito menos invasivo quando comparado com o uso de eletrodos; ela pode ser direcionada de forma mais específica sobre diferentes populações de células objetos do tratamento. O objetivo é criar uma nova área de investigação, que chamamos de 'optocêutica', capaz de caminhar lado a lado com a tecnologia farmacêutica e eletrocêutica com potencial enorme de aplicação," disse a professora Maria Rosa Antognazza.

Cultivando tecidos com luz

A equipe mostrou que é possível aplicar o novo método às células progenitoras do tecido endotelial.

Os pesquisadores conseguiram promover efetivamente o processo de angiogênese in vitro, usando materiais fotoativos como substratos celulares e estimulando-os com pulsos curtos de luz visível.

Os resultados abrem caminho para uma série de desenvolvimentos interessantes no tratamento de doenças cardiovasculares, dizem os pesquisadores.

O próximo passo será verificar o potencial da técnica usando outros modelos de células de interesse para a regeneração de tecidos.

A possibilidade de modular o destino celular por estimulação óptica permite que os pesquisadores sejam altamente precisos e minimamente invasivos, o que torna a técnica potencialmente adequada para várias aplicações no campo terapêutico.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Conjugated polymers optically regulate the fate of endothelial colony-forming cells
Autores: F. Lodola, V. Rosti, G. Tullii, A. Desii, L. Tapella, P. Catarsi, D. Lim, F. Moccia, M. R. Antognazza
Publicação: Science Advances
Vol.: 5, no. 9, eaav4620
DOI: 10.1126/sciadv.aav4620

Ver mais notícias sobre os temas:

Fotônica

Células-tronco

Tratamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.