24/01/2020

Palavras para emoções mudam de sentido entre idiomas

Redação do Diário da Saúde
Palavras para emoções têm significados variados entre idiomas
Há mais coincidências entre a sensação e a palavra entre os idiomas de povos geograficamente mais próximos.
[Imagem: Jackson1 et al. - 10.1126/science.aaw8160]

Tradução das emoções

Quase todos os humanos sentem a emoção do amor, mas isso significa que a palavra turca sevgi ou a húngara szrelem, ambas são traduzidas como amor em português, transmitem o mesmo sentimento?

Não necessariamente.

Por exemplo, a palavra saudade, que se refere especificamente aos sentimentos melancólicos profundos causados pelo desejo de algo ausente ou perdido, não tem tradução direta para o inglês ou para a maioria dos idiomas.

Assim, embora as emoções sejam uma faceta definidora da condição humana, a semântica das palavras usadas para descrevê-las pode ser diferenciada. Além disso, se as emoções compartilham ou não uma semântica entre culturas é algo sobre o quê os pesquisadores ainda não se entenderam.

Colexificação

Ante tamanha confusão entre emoções e linguística, Joshua Jackson e seus colegas de universidades de cinco países usaram a "colexificação" - um novo método da linguística comparativa que mede a variabilidade e a estrutura dos significados das palavras - para identificar padrões semânticos em uma amostra de 2.474 idiomas de 20 famílias de idiomas principais, incluindo idiomas pequenos e pouco estudados, com comparativamente poucos falantes.

Os resultados revelaram que as palavras descrevendo cada emoção variam muito de significado entre os idiomas, apesar de serem postas como equivalentes nos dicionários de tradução.

De fato, os idiomas descrevem as emoções de maneira diferente em todo o mundo. Por exemplo, alguns idiomas veem o luto como semelhante ao medo e à ansiedade, enquanto outros veem o luto como semelhante ao arrependimento.

A equipe também descobriu que a maneira como as culturas expressam emoções está ligada à geografia. Grupos de idiomas localizados próximos uns dos outros compartilham visões mais semelhantes de emoção em comparação com grupos de idiomas distantes.

"Essa diferença é provavelmente devida ao contato histórico e às comunicações entre grupos próximos, o que levou a um entendimento compartilhado mais forte das emoções," propõe Jackson.

Emoções universais

Contudo, independentemente da geografia, todas as línguas distinguem emoções principalmente com base em serem agradáveis ou desagradáveis, e se envolvem níveis baixos ou altos de excitação.

Por exemplo, poucas línguas veem a emoção da tristeza (baixa excitação) como semelhante à emoção da raiva (alta excitação), e poucas línguas veem a emoção agradável de "felicidade" como semelhante à emoção desagradável de "arrependimento" - mas alguns defendem que a felicidade tem um lado ruim.

Isso sugere que existem elementos universais da experiência emocional, propõe a equipe.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Emotion semantics show both cultural variation and universal structure
Autores: Joshua Conrad Jackson, Joseph Watts, Teague R. Henry, Johann-Mattis List, Robert Forkel, Peter J. Mucha, Simon J. Greenhill, Russell D. Gray, Kristen A. Lindquist
Publicação: Science
Vol.: 366 Issue 6472 pp. 1517-1522
DOI: 10.1126/science.aaw8160

Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Relacionamentos

Sentimentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.