22/04/2022

Tratamentos de saúde devem ser específicos para mulheres e para homens

Redação do Diário da Saúde
Tratamentos de saúde devem ser específicos para mulheres e para homens
Existe um corpo crescente de evidências de que os problemas de saúde não são os mesmos nas mulheres e nos homens. [Imagem: Judith G. Regensteiner et al. - 10.1016/j.jacc.2022.02.010]

Doenças diferentes por sexo

Pesquisadores estão defendendo a adoção de novas diretrizes de saúde para o tratamento da obesidade, hipertensão e diabetes nas mulheres.

Atualmente, não existem diretrizes específicas por sexo para tratar ou prevenir essas condições de saúde, limitando os cuidados médicos disponíveis para as mulheres, defende a equipe.

As doutoras Judy Regensteiner e Jane Reusch, da Universidade do Colorado (EUA), afirmam que já existe suporte científico suficiente para a adoção de medidas de saúde específicas por sexo para obesidade, hipertensão e diabetes, mencionando o conhecimento de que as diferenças de saúde entre homens e mulheres vão muito além da saúde reprodutiva.

Segundo elas, até o início da década de 1990, as pesquisas realizadas sobre a saúde da mulher concentravam-se principalmente em doenças que afetam a fertilidade e a reprodução, e as mulheres eram excluídas da maioria dos ensaios clínicos.

Desde então, o conhecimento específico por sexo cresceu, mas ainda há uma lacuna considerável a ser preenchida.

"Precisamos entender como as diretrizes de cuidados clínicos podem ser direcionadas adequadamente para mulheres e homens, a fim de prevenir, avaliar e tratar com precisão as doenças cardiovasculares em ambos os sexos. Atualmente, estamos usando as mesmas diretrizes para homens e mulheres. No entanto, nós não temos as evidências de que precisamos para saber se isso é justificado em todos os estados de doença," disse Regensteiner.

Obesidade, hipertensão e diabetes

A prevalência de hipertensão é maior em homens do que em mulheres antes dos 60 anos. Contudo, após a menopausa, a hipertensão aumenta nas mulheres e a doença cardiovascular torna-se uma das principais causas de morte das mulheres. Além disso, homens e mulheres negros apresentam taxas mais altas de hipertensão do que populações brancas e hispânicas, e, sobretudo, a hipertensão é diferente em homens e mulheres.

Além disso, Regensteiner e Reusch observaram que, pela primeira vez, as taxas de obesidade em homens chegaram ao mesmo nível que entre as mulheres. No entanto, a distribuição adiposa em homens e mulheres é muitas vezes diferente e tem implicações fisiológicas - entre as mulheres na pós-menopausa, isso pode causar um aumento do risco cardiometabólico.

Com relação ao diabetes, qualquer exposição ao diabetes, não importa a duração, como na diabetes gestacional, aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares nas mulheres. Este risco aumentado de doença cardiovascular em mulheres com diabetes é encontrado mesmo antes da menopausa.

"As mulheres desenvolvem diabetes com uma constelação de fatores de risco diferente dos homens e é crucial entender essas diferenças ao tomar decisões de tratamento," disse Reusch.

Doenças em homens e mulheres

Em vista disso, é importante que os pesquisadores desenvolvam novas diretrizes específicas de sexo para obesidade, hipertensão e diabetes. Os fatores de risco, manifestações e tempo de início são diferentes para homens e mulheres, potencialmente exigindo orientações que diferem por sexo, defende a dupla.

Veja outras pesquisas que mostram as diferenças entre homens e mulheres em diversos problemas de saúde.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.