04/08/2009

Cientistas descobrem fonte original da malária em chimpanzés

Agência Fapesp
Cientistas descobrem fonte original da malária em chimpanzés
Cientistas descrevem uma possível fonte original da doença, que teria sido transmitida de chimpanzés a humanos há mais de 5 mil anos.
[Imagem: Wikimedia Commons]

Fonte original da malária

Um grupo internacional de cientistas identificou o que acreditam ser a fonte original da malária, doença infecciosa que atinge cerca de 500 milhões de pessoas por ano no mundo, causando 1,5 milhão de mortes. A origem estaria em um parasita encontrado em chimpanzés na África equatorial.

Segundo Francisco Ayala e seus colegas da Universidade da Califórnia em Irvine, o parasita teria sido transmitido de chimpanzés para humanos talvez tão recentemente quanto há 5 mil anos. E muito possivelmente a transmissão se deu por um único mosquito.

O estudo será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Vacina contra a malária

De acordo com os autores, a descoberta poderá ajudar no desenvolvimento de uma vacina contra a malária, além de aumentar o conhecimento de como as doenças infecciosas como a Aids, a síndrome respiratória aguda severa (Sars) ou a nova gripe A (H1N1) são transmitidas de animais ao homem.

"Quando a malária é transmitida aos humanos, ela se torna muito severa rapidamente. A doença em humanos se tornou resistente a muitas drogas. Esperamos que nossa descoberta nos aproxime da produção de uma vacina", disse Ayala.

Malária maligna

A malária maligna, forma mais grave da doença, é causada pelo protozoário Plasmodium falciparum. O parasita é responsável por mais de 80% de todas as infecções e quase todas as mortes causadas pela doença.

Sabia-se que chimpanzés carregam um parente desse parasita chamado Plasmodium reichenowi, mas os cientistas achavam que os dois teriam existido separadamente em humanos e em chimpanzés por pelo menos 5 milhões de anos.

No novo estudo, o grupo examinou diversas novas linhagens do plasmódio encontradas em sangue retirado de chimpanzés selvagens em reservas em Camarões e na Costa do Marfim.

A análise genética feita pelos autores do estudo relacionou a linhagem do Plasmodium falciparum com todas as linhagens conhecidas do parasita humano. Como se verificou pouca variação genética entre as linhagens, pesquisadores calculam que a transmissão teria ocorrido em um passado recente, entre 5 mil e 2 milhões de anos atrás.

A malária maligna teria começado a se espalhar pelas regiões tropicais, e depois pelo mundo, há cerca de 5 mil anos, quando a agricultura começou na África.

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Infecções

Contaminação

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.