01/10/2021

Quem deixa o passado para trás e não tenta antecipar o futuro tem saúde melhor

Redação do Diário da Saúde
Quem deixa o passado para trás e não tenta antecipar o futuro tem saúde melhor
Não deixe que pequenos transtornos estraguem o seu dia ao ficar realimentando-os.
[Imagem: Steve Buissinne/Pixabay]

Presente, passado e futuro

Aprender novas maneiras de controlar o estresse pode levar as pessoas naturalmente a um estilo de vida mais saudável, com um consequente maior bem-estar.

A preocupação frequentemente está relacionada com o medo de eventos futuros, enquanto a ruminação - padrões persistentes de pensamento negativo - consiste em pensar continuamente nos fatores estressantes ou acontecimentos ocorridos no passado. Ambos são respostas comuns de enfrentamento ao estresse. Para lidar com ambos, existem diversas terapias que tentam colocar o foco no presente, deixando o passado para trás e não tentando imaginar futuros que poderão nunca existir.

Mas o que Dane McCarrick e seus colegas da Universidade de Leeds (Reino Unido) queriam saber era se a redução dessas respostas poderia melhorar a saúde física e os comportamentos de saúde - ações que as pessoas realizam que afetam sua saúde de formas positivas e negativas, como exercícios e alimentação saudável, ou tabagismo e ingestão excessiva de álcool.

Para isso, eles fizeram análises de todos os estudos feitos ao redor do mundo sobre o assunto, e constataram que pessoas que desenvolveram e praticaram estratégias para lidar com a preocupação e a ruminação dormiram melhor, beberam menos álcool e comeram alimentos mais saudáveis.

"Esta nova pesquisa fornece a primeira síntese de evidências experimentais testando os métodos mais eficazes para reduzir a preocupação e a ruminação no contexto da saúde. A revisão fornece novas evidências para a ligação entre o estresse e resultados adversos para a saúde e destaca a importância de encontrar tempo para desligar e controlar as preocupações," disse a professora Dane McCarrick.

Quem deixa o passado para trás e não tenta antecipar o futuro tem saúde melhor
Estudos já mostraram que o pensamento negativo repetitivo aumenta até o risco de Alzheimer.
[Imagem: Jesus Solana/Wikimedia]

Como lidar com a preocupação e a ruminação

Os dados envolveram 5.000 participantes em 36 estudos diferentes para examinar como as intervenções psicológicas para a preocupação e a ruminação impactaram a saúde mental e física e os comportamentos de saúde durante um período de tempo - só foram selecionados os estudos que comparavam essas pessoas com grupos de controle, que não recebiam intervenções.

As intervenções testadas nos estudos incluíram:

  • Desapego psicológico - desligamento de situações que desencadeiam estresse.
  • Planos de ação, como adiar a preocupação até um tempo pré-estabelecido.
  • Técnicas de gerenciamento do estresse.
  • Meditação de atenção plena e relaxamento.
  • Terapias de conversação, incluindo terapia cognitivo-comportamental e terapia de aceitação e compromisso.
  • Técnicas para lidar com a dor.

Os resultados mostraram que todos os tipos de intervenção tiveram um efeito significativo e positivo nos comportamentos de saúde, com exceção das estratégias de controle da dor.

Os pesquisadores também notaram uma correlação entre níveis mais baixos de preocupação e ruminação e melhores comportamentos de saúde em todos os subgrupos, sugerindo que essas técnicas provavelmente funcionarão para a maioria das pessoas.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Health effects of psychological interventions for worry and rumination: A meta-analysis
Autores: D. McCarrick, A. Prestwich, A. Prudenzi, D. B. O'Connor
Publicação: Health Psychology
DOI: 10.1037/hea0000985
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Bem-estar emocional

Qualidade de Vida

Mente

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.