20/07/2022

Vacina universal contra gripe dá proteção em primeiros testes

Redação do Diário da Saúde
Vacina universal contra gripe dá proteção em primeiros testes
A vantagem de uma vacina universal é a dispensa de alterações conforme surgem novas variantes do vírus.
[Imagem: Georgia State University]

Vacina universal

Uma nova vacina experimental, construída com partes-chave do vírus influenza, ofereceu ampla proteção cruzada contra diferentes cepas e subtipos de vírus influenza A em populações jovens e idosas.

Trata-se de uma categoria conhecida como vacina universal contra a gripe, uma vacina que não precisará ser atualizada a cada ano.

Os pesquisadores desenvolveram a vacina ligando geneticamente duas porções altamente conservadas (relativamente inalteradas ao longo do tempo) do vírus: O domínio extracelular da matriz 2 (M2e) e a proteína caule encontrada nos vírus da gripe A H3N2.

Os resultados mostram que a vacinação com a proteína M2e-caule induziu ampla proteção contra diferentes cepas e subtipos de vírus influenza, por meio de uma imunidade mediada pela vacina, quando ela foi aplicada em camundongos adultos e idosos.

"A proteína M2e-caule, pela primeira vez, pôde ser facilmente produzida em culturas de células bacterianas em altos rendimentos, e conferiu proteção contra vírus de subtipos de grupos cruzados heterólogos e heterosubtípicos (H1N1, H5N1, H9N2, H3N2 e H7N9) em níveis semelhantes em camundongos adultos e idosos," disse o Dr. Sang-Moo Kang, da Universidade do Estado da Geórgia (EUA).

Estes primeiros testes mostram que esta nova vacina de proteína induziu anticorpos de imunoglobulina G (IgG) específicos, que reconheceram antígenos virais de influenza diversos em partículas de vírus e na superfície da célula infectada. Além disso, a vacina estimulou a imunidade celular protetora das células T e a eliminação eficaz do vírus da gripe pulmonar.

Ineficácia das vacinas contra a gripe

Os cientistas têm tido dificuldades no desenvolvimento de vacinas eficazes para os vírus da gripe porque a porção principal do vírus está mudando constantemente. Quando se compara os vírus influenza A H1N1 e H3N2, há problemas específicos nos subtipos H3N2 por causa das mutações do caule nas cepas circulantes e da estrutura instável das proteínas do caule para os vírus H3N2.

A eficácia da vacina contra o H3N2 tem sido baixa ao longo dos últimos 10 anos - apenas cerca de 33%, tendo caído para 6% durante a temporada de gripe de 2014-2015. Novas mutações de variantes do H3N2 surgiram com maior virulência, incluindo o surto de H7N9, outro subtipo de influenza A, que causou preocupação com possíveis pandemias.

Portanto, desenvolver uma vacina eficaz para proteger contra esses vírus é uma alta prioridade, e a vacina universal de proteínas anunciada pela equipe é uma esperança promissora nesse caminho.

Checagem com artigo científico:

Artigo: A chimeric thermostable M2e and H3 stalk-based universal influenza A virus vaccine
Autores: Jeeva Subbiah, Judy Oh, Ki-Hye Kim, Chong-Hyun Shin, Bo Ryoung Park, Noopur Bhatnagar, Baik-Lin Seong, Bao-Zhong Wang, Sang-Moo Kang
Publicação: npj Vaccines
Vol.: 7, Article number: 68
DOI: 10.1038/s41541-022-00498-6
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Vírus

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.