04/10/2019

Três faces da popularidade adolescente: ser temido, ser amado e ser temido e amado

Redação do Diário da Saúde
Três faces da popularidade adolescente: ser temido, ser amado e ser temido e amado
Os adolescentes biestratégicos ou do tipo maquiavélico mantêm sua popularidade compensando o comportamento coercitivo necessário para manter o poder com atos de bondade cuidadosamente calibrados.
[Imagem: Alex Dolce/FAU]

Ser amado versus ser popular

Os adolescentes dão muito valor à popularidade e estão profundamente cientes da diferença entre ser querido e ser popular. Se forçados a escolher, muitos deles optam pela popularidade.

A popularidade, no entanto, tem muitas faces. Nas pesquisas da área de Psicologia, dois grupos de adolescentes populares têm-se destacado: os agressivos e os pró-sociais. Adolescentes populares pró-sociais adquirem e mantêm popularidade através da cooperação. Adolescentes populares agressivos adquirem e mantêm popularidade por meio da coerção e de um comportamento agressivo.

Mas os pesquisadores ficaram com uma pulga atrás da orelha porque ouviram de praticamente todos os adolescentes sobre um terceiro grupo, que foi descrito como semelhante a maquiavélico: "Os mais populares são temidos e amados."

Para estudar essa ideia sobre adolescentes que são amados e temidos ao mesmo tempo, pesquisadores da Universidade Atlântico da Flórida (EUA) e da Universidade de Montreal (Canadá) conduziram um novo estudo longitudinal para examinar diferentes tipos de adolescentes populares. Para isso, eles acompanharam 568 meninas e meninos com idade média de 13 anos por dois anos. Os colegas de classe identificaram aqueles que eram agressivos, pró-sociais e populares.

Os resultados do estudo de fato identificaram três grupos distintos de adolescentes populares: pró-social popular; popular agressivo; e popular "biestratégico", ou maquiavélico.

Estratégia maquiavélica

O grupo biestratégico teve o mais alto nível de popularidade e ficou acima da média nas agressões, físicas e relacionais, bem como no comportamento pró-social. Eles eram vistos por seus colegas como perturbadores e zangados, mas estavam bem ajustados.

"Os adolescentes biestratégicos são dignos de nota não apenas por seus níveis muito altos de popularidade, mas também pela maneira como equilibram o modo como se dão bem," disse o professor Brett Laursen. "Eles eram menos pró-sociais do que os adolescentes populares pró-sociais, mas, ao mesmo tempo, menos agressivos física e relacionalmente do que os adolescentes populares agressivos. Esses jovens são verdadeiramente maquiavélicos, mantendo sua popularidade ao compensar o comportamento coercitivo necessário para manter o poder com atos cuidadosamente calibrados de bondade."

Como esperado, os adolescentes populares pró-sociais eram queridos e bem-ajustados; os adolescentes populares agressivos não eram nenhuma das duas coisas.

Checagem com artigo científico:

Artigo: A Test of the Bistrategic Control Hypothesis of Adolescent Popularity
Autores: Amy C. Hartl, Brett Laursen, Stéphane Cantin, Frank Vitaro
Publicação: Child Development
DOI: 10.1111/cdev.13269

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.