31/12/2020

Como ser mais feliz em 2021

Redação do Diário da Saúde
Como ser mais feliz em 2021
Doe com o coração, porque voluntário altruísta vive mais, mas voluntário egoísta não.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Decisões esquecidas

Então você quer ter uma aparência mais elegante, desenvolver sua inteligência ou seus conhecimentos e ter sucesso profissional no próximo ano? Ou você pretende se esforçar mais para se exercitar, ligar mais para os seus amigos ou economizar um pouco?

Você não está sozinho. As resoluções de Ano Novo são tão onipresentes quanto difíceis de cumprir.

Será então que faz sentido definir metas tão elevadas para o Ano Novo, esperando novamente a cada primeiro de Janeiro que desta vez realmente algo será diferente?

Qualquer pesquisador motivacional teria "sentimentos ambivalentes" sobre as resoluções de Ano Novo, diz Richard Ryan, professor de psicologia da Universidade de Rochester (EUA): "As evidências mostram que, na maioria das vezes, as pessoas não têm sucesso com elas."

Decisões para serem lembradas

Mas não jogue a toalha ainda.

O professor Ryan afirma que qualquer ocasião que nos dê a oportunidade de refletir sobre nossas vidas é, em última análise, uma coisa boa - e nem precisa ser no Ano Novo, de forma que você pode rever seus votos se não tiver feito nada até o Carnaval, por exemplo.

"Sempre que isso acontecer, se for realmente uma mudança reflexiva - algo em que você coloca seu coração - pode ser bom para as pessoas," disse ele.

E Ryan tem outra dica: Não pense só em você mesmo - o que se prova mais satisfatório, e também pode ser o mais necessário, são metas que envolvem doar aos outros.

"Pense em como você pode ajudar," recomenda o psicólogo. "Há muita angústia por aí: Se pudermos definir metas que visam ajudar os outros, esses tipos de metas, por sua vez, também contribuirão para o nosso próprio bem-estar."

Satisfação em ajudar os outros

Não é por acaso que fazer o bem aos outros faz bem pra você: Atos de boa vontade para ajudar os outros satisfazem todas as três necessidades psicológicas básicas, as necessidades de autonomia, competência e relacionamento.

Autonomia, neste contexto, significa que você pode se envolver em atividades nas quais sinta verdadeira vontade e encontre valor pessoal na ação; competência significa sentir-se eficaz e ter um sentimento de realização; e, finalmente, relacionamento significa trabalhar e sentir-se conectado a outras pessoas.

"Se você deseja fazer uma resolução de Ano Novo que realmente o deixe feliz, pense em maneiras de contribuir com o mundo," recomenda Ryan. "Todas essas três necessidades básicas são atendidas. As pesquisas mostram que ajudar não é bom apenas para o mundo, mas também muito bom para você."

Checagem com artigo científico:

Artigo: A configural approach to aspirations: The social breadth of aspiration profiles predicts well-being over and above the intrinsic and extrinsic aspirations that comprise the profiles
Autores: Emma L. Bradshaw, Baljinder K. Sahdra, Joseph Ciarrochi, Philip D. Parker, Tamás Martos, Richard M. Ryan
Publicação: Journal of Personality and Social Psychology
DOI: 10.1037/pspp0000374
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Felicidade

Comportamento

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.