22/07/2021

Vírus são a causa mais comum de miocardite em crianças

Redação do Diário da Saúde

Miocardite

Miocardite em crianças é uma condição rara, mas difícil de tratar.

Contudo, o diagnóstico e o tratamento incluem várias opções, e muitos casos de miocardite podem até mesmo se resolver por conta própria, de acordo com uma nova declaração científica emitida pela Associação Norte-Americano do Coração.

A miocardite é a inflamação da camada média da parede do músculo cardíaco, o miocárdio, e pode enfraquecer temporária ou permanentemente o músculo cardíaco e o sistema elétrico do coração, que mantém o coração batendo regularmente. A doença acomete aproximadamente 10 a 20 por 100.000 adultos e, em crianças, a incidência é de 1 a 2 por 100.000.

Embora muitos casos se resolvam por conta própria ou com tratamento, levando a uma recuperação completa, a miocardite grave pode causar insuficiência cardíaca, ritmos cardíacos anormais, choque e morte súbita.

Os sinais e sintomas de miocardite incluem fadiga, falta de ar, febre, dor no peito e palpitações.

Miocardite associada às vacinas contra covid-19

A preocupação com a doença aumentou nas últimas semanas, conforme as autoridades de saúde colocaram a condição como um dos eventos colaterais possíveis de algumas das vacinas contra a covid-19.

"A miocardite tem características distintas em crianças e um impacto potencial em sua saúde ao longo da vida. Esperamos que esta declaração sirva como uma atualização educacional, bem como um apelo unificador para as pesquisas necessárias para melhor compreender e tratar esta importante condição pediátrica.

"E, tendo em vista a ocorrência recentemente reconhecida de miocardite após infecção por covid-19, bem como o surgimento de casos de suspeita de miocardite após vacinação contra covid-19, esta declaração é um recurso para médicos e profissionais de saúde no cuidado desses pacientes," disse o professor Yuk Law, da Universidade de Washington (EUA).

Orientações

As orientações contidas no comunicado incluem:

  • A incidência de miocardite em crianças varia com a idade, sendo maior em lactentes e aumentando novamente em adultos jovens.
  • Os pacientes não devem participar de esportes competitivos enquanto houver inflamação ativa. Além da normalização dos marcadores inflamatórios e de lesão miocárdica, bem como da função ventricular e da insuficiência cardíaca, o monitoramento por Holter de 24 horas e o teste ergométrico devem ser realizados em atletas não antes de 3 a 6 meses após o diagnóstico e antes do retorno à competição.
  • Em crianças, a miocardite é mais frequentemente o resultado de uma infecção viral e é mais frequentemente aguda ou de início súbito, ao invés de miocardite crônica, que é vista com mais frequência em adultos.
  • Os sintomas em crianças podem variar de mínimos a sinais de insuficiência cardíaca, arritmias com risco de vida ou choque cardiogênico.
  • Os sintomas mais comuns de miocardite em crianças incluem fadiga, falta de ar, dor abdominal e febre. (Digno de nota, o principal sintoma relatado em pacientes com suspeita de miocardite associada à vacina covid-19 é a dor torácica). No entanto, é importante considerar as causas alternativas desses sintomas, uma vez que nenhum deles é específico para condições cardiovasculares, incluindo miocardite.
  • A miocardite aguda pode deteriorar-se rapidamente, portanto, o monitoramento rigoroso em um ambiente hospitalar deve ser considerado.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Diagnosis and Management of Myocarditis in Children: A Scientific Statement From the American Heart Association
Autores: Yuk M. Law, Ashwin K. Lal, Sharon Chen, Daniela Ciháková, Leslie T. Cooper Jr, Shriprasad Deshpande, Justin Godown, Lars Grosse-Wortmann, Joshua D. Robinson, Jeffrey A. Towbin
Publicação: Circulation
DOI: 10.1161/CIR.0000000000001001
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Coração

Vírus

Vacinas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.